Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Dica do Blogueiro.


CONFISSÕES DE UMA MENTE CRIATIVA.
O Twitter possui hoje 255 milhões de usuários mensais ativos e é uma das redes sociais mais acessadas do mundo. Em 2006, quando foi criada, poucos acreditavam no seu sucesso. Biz Stone, um dos seus idealizadores, era então um jovem com muitas dívidas e grandes ideias. Começou a carreira como designer de capas de livros, fundou e deixou pra trás uma startup, escreveu um blog e integrou a equipe do Google.
Destemido e engraçado, Biz narra suas aventuras (e desventuras) pessoais e profissionais em Um passarinho me contou, que chega às livrarias brasileiras pela Editora BestSeller. "Minha mudança para o Vale do Silício não era para ter um emprego confortável e sim para assumir um risco, imaginar um novo futuro e me reinventar. Minha primeira startup tinha fracassado, mas a seguinte seria o Twitter", diz ele na obra.


 Um passarinho me contou
(Things a little bird told me)
De Biz Stone
Tradução de Patrícia Azeredo
256 páginas / R$ 30,00
Editora BestSeller (Grupo Editorial Record)
Em Um passarinho me contou, Biz fala em detalhes sobre a criação, o desenvolvimento, o sucesso e os problemas enfrentados pelo Twitter desde que entrou no ar - e aproveita para mostrar como funcionam as mentes brilhantes por trás dos empreendimentos do Vale do Silício. Além disso, ele se volta diretamente aos jovens em início de carreira, incentivando cada um a descobrir suas habilidades, acreditar nas próprias ideias, aprender a criar oportunidades e investir paixão e emoção em todo processo criativo.
Eleito "Nerd do Ano" pela revista GQ e uma das "Pessoas Mais Influentes do Mundo" pela TIME, Biz Stone é conhecido por todos como o criativo, efervescente, engraçado, encantadoramente positivo e notável cofundador do Twitter - a rede social que, sozinha, mudou a forma como o mundo funciona. Nesta autobiografia inusitada, ele compartilha seus conhecimentos sobre a origem e a importância do talento nos dias de hoje. Fala também sobre ambição, fracasso, cultura corporativa e o valor da vulnerabilidade.
Biz Stone tornou-se um empresário da internet em 1999. Ele trabalhou no Google, ajudou a criar conceitos e tecnologias de blogs e podcasts e coinventou o Twitter. Antes de ser um tech star, Biz escreveu livros e artigos sobre os aspectos sociais da tecnologia. Ele se apresenta regularmente a grandes plateias como professor visitante em universidades ou como palestrante em empresas. Recentemente, fundou e tornou-se CEO de seu mais novo empreendimento, Jelly. Vive próximo a São Francisco, Califórnia, com a esposa e o filho.
Trecho do livro
"Naquela noite trabalhamos até tarde para resolver os problemas. Os usuários nos conheciam e imaginaram (corretamente) que iríamos nos matar tentando reforçar o serviço para o dia seguinte. Já era bem tarde da noite quando chegaram algumas pizzas. Depois, outra leva. Mas ninguém no escritório tinha pedido pizza.
Ai um usuário tweetou:
"Vocês receberam as nossas pizzas?
Meu Deus. Estávamos recebendo apoio da comunidade do Twitter. Em vez de reclamar que o site havia caído, varias pessoas mandaram pizzas ao nosso escritório para nos dar ânimo e apoiar o nosso esforço. Não éramos robôs anônimos que os frustravam com bugs e falhas. Toda aquela honestidade revelou a nossa humanidade e nos trouxe boa vontade.".
Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.