Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Vaticano abre arquivos sobre ditadura argentina.


Vaticano abre arquivos sobre ditadura argentina.
São três mil cartas que serão disponibilizadas em breve.

O Vaticano e a Conferência Episcopal Argentina anunciaram nesta terça-feira (25) que terminaram o processo de organização e digitalização dos arquivos do período da ditadura militar na Argentina conservados pela instituição católica.

Foto: Getty Images
Em um comunicado conjunto, as duas entidades informaram como será feito o acesso dos interessados nos documentos. 
"Com base em um protocolo que será estabelecido em breve, poderão consultar os relativos documentos as vítimas e os familiares diretos dos desaparecidos e detidos e religiosos e seus superiores", informaram.
A nota ainda informou que o processo foi realizado "em conformidade com as decisões e as indicações do Santo Padre e representa o fim de um trabalho iniciado há anos pela Conferência Episcopal Argentina"
O documento também ressalta que o trabalho "é um serviço à verdade, à justiça e à paz, continuando com o diálogo aberto para a cultura do encontro".
De acordo com informações divulgadas pelo arcebispo de Buenos Aires, cardeal Mario Aurelio Poli, são cerca de três mil cartas escritas entre os anos de 1976 e 1983 que foram conservadas pela Conferência.
"Trata-se, na maior parte, de cartas dos familiares, sendo algumas com respostas a tais solicitações, com as comunicações que se faziam ao governo [..] manifestando preocupações e pedindo pelas pessoas", disse Poli em coletiva de imprensa em Buenos Aires.
Segundo o religioso, a etapa anunciada representa a conclusão dos trabalhos desenvolvido pelo Episcopado e "aprofundado em novembro de 2012, promovido então pelo cardeal Jorge Bergoglio".
Depois que foi eleito Papa, Francisco quis levar o trabalho adiante com a ajuda de outros organismos da Santa Sé.
"A Igreja não teme os arquivos porque eles conservam uma verdade histórica. Um serviço à Pátria", disse ainda o cardeal Poli.

post: Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.