Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Lugares.


ZALIPIE: o povoado polonês com casas pintadas a mão.
O pequeno povoado de Zalipie se encontra em uma área remota ao sul da Polônia. As pessoas que se dispuserem viajar até lá encontrarão uma agradável surpresa em todas as paredes do povoado. Os habitantes de Zalipie têm um belo costume que começou há mais de cem anos, quando as mulheres do povoado começaram pintar e decorar as paredes de todas as casas.


Ainda que não se saiba a data exata em que começaram com essa tradição, sabemos que o propósito da pintura era ocultar as manchas causadas pela fumaça dos chaminés.



Apesar de que com a introdução de fornos e estufas modernas já não havia mais a necessidade de seguir tapando as manchas, os habitantes decidiram manter vivo este costume e continuaram decorando as casas do povoado com belos desenhos pintados a mão.




Logo, o que começou como o trabalho de alguns, em pouco tempo se transformou no passatempo de todos. Hoje em dia as flores estão presentes nas pontes, casas, edifícios, árvores e até em casas de cachorros, etc.





No início, as mulheres utilizavam os rabos de vacas para fazer os pincéis, com os quais pintavam ou retocavam as pinturas.






Durante a Segunda Guerra Mundial, mais de 17% da população foi cruelmente assassinada. Após 1948 o povoado começou realizar concursos de pinturas, em parte para recuperar-se da horrível tragédia pela qual passaram nesse período e o que começou como um lenitivo para a tristeza provocada pela guerra, transformou-se num marco de alegria e beleza. Característica única de identidade de Zalipie e de seus habitantes.

















Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.