Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Imagens.

PARECE PHOTOSHOP, MAS NÃO É! CONFIRA AS IMPRESSIONANTES E SURREAIS FOTOGRAFIAS DE JEE YOUNG LEE.


Parece que tudo foi retocado por Photoshop... mas só parece mesmo! O trabalho da recentemente graduada pela Seoul's Hongik University (em sua terra natal, a Coréia do Sul), Jee Young Lee, registra o invisível e cria estas impressionantes imagens.
Considerando que a fotografia tradicional nos envia extratos de realidade aos nossos olhos, Jee oferece trechos de seu coração, de sua memória e de seus sonhos. Contida pelos limites inerentes ao meio fotográfico convencional, ela acrescenta uma boa dose de criatividade plástica e performance teatral, com o objetivo de soprar vida em suas imensas necessidades de expressão e interrogação.
Durante semanas, e às vezes meses, ela cria a estrutura de um universo nascido de sua mente dentro dos limites de apenas 3x6m, que é o tamanho de seu estúdio. Ela faz isso com infinitas minúcias e extraordinária paciência, de forma a excluir qualquer alteração fotográfica ulterior. Uma vez materializados, estes mundos  tornam-se reais e se concretizam: a imaginação é revertida para o tangível e a aparência ficcional das fotos depõem-se como realidade.
No meio de cada uma destas obras de arte está a artista, mas os autorretratos, no entanto, nunca são frontais, uma vez que nunca é o seu aspecto visual que é exibido, mas sim a busca por uma identidade, seus desejos e estado de espírito. Seu imaginário é uma catarse que lhe permite aceitar a repressão social e frustrações. O momento necessário para definir o cenário lhe dá tempo para meditar sobre as causas de seus conflitos interiores, e, portanto, exorcizá-los, que uma vez experimentados, estes, por sua vez, tornam-se presságios de esperança.
Confira:















Marcelo Ferla





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.