Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sábado, 12 de outubro de 2013

Falando nisso.

Fotógrafo que ficou cego em protesto pede R$ 1,2 mi de indenização.
O fotógrafo Sérgio Andrade Silva, 31, entrou nesta semana com um pedido de indenização no valor de R$ 1,2 milhão contra o governo do Estado. Ele ficou cego de um dos olhos ao ser atingido por uma bala de borracha durante um protesto, na capital paulista, em junho.


Silva acompanhava a manifestação ocorrida em 13 de junho a trabalho, estando a serviço da agência Futura Press. Na ocasião, o comandante-geral da Polícia Militar, Benedito Roberto Meira, disse que os ferimentos são "riscos da profissão" durante coberturas de manifestações.
De acordo com o processo, o valor pedido seria por conta de dano moral, dano estético e dano material. Ele também pede uma pensão mensal de R$ 2.350,05, acrescido de R$ 316,05 para custeios médicos.
Segundo o advogado Paulo Sérgio Leite Fernandes, que representa o fotógrafo, o processo também pedia o pagamento antecipado de R$ 3.894,67 para as despesas médicas que ele teve até agora, mas o pedido foi indeferido ontem pelo juiz Henrique Rodrigueiro Clavisio, da 10ª Vara da Fazenda Pública.
"Ele é um fotógrafo pobre e o nome dele vai para o Serasa. Os R$ 3.800 correspondem ao pagamento do Hospital Nove de Julho", afirmou o advogado, que já encaminhou ao Tribunal de Justiça um agravo contra a decisão do juiz. O pedido de indenização ainda não foi julgado.
Na decisão, o juiz afirma que não pode conceder a tutela antecipada por não haver ainda provas inequívocas da culpa do Estado no acidente que levou a perda de visão do fotógrafo. "Não superada a questão legal referida, não se pode desde logo se impor obrigação de pagar ao Estado", diz.

Marcelo Ferla
fonte: folha.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.