Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Sabia dessa.


O mistério das mulheres que têm gato.
Por que toda mulher que opta por um gato, e não por um cachorro, é tida como depressiva e solitária? Pesquisas afirmam o contrário.
Por Marcel G. Costa

Ter um gato significa que você precisa entender e saber respeitar o espaço dos outros.

Esse papo de mulheres e gatos é um conto pra lá de antigo. Desde a idade média existe essa associação. 

Naqueles tempos mulheres com gatos eram tidas como bruxas, e mais que isso, os antigos acreditavam que elas poderiam transformar qualquer um em gato. 

Coisa de louco, fala ai? Mas os tempos mudaram e grande parte da galera não acredita mais em bruxa, mas ainda desconfia de uma mulher solteira com um gato.
Até aí tudo bem, essa loucura era papo de anglo-saxão. 

Mas a televisão e os filmes ajudaram a difundir este mito ao redor do globo. Então criou-se o estereótipo. 

Contudo a realidade do século XXI é bem diferente daquela que costumamos ver. Digo por mim. 

Todas as minhas amigas solteiras que têm gatos são lindas e extrovertidas. 

Então está na hora de rever essa associação.  
E eu não sou o único a pensar assim. 

A jornalista Stepanhie Butnick, defendeu minha tese em um artigo publicado no tradicionalíssimo The New York Times. 

Em seu artigo a moça afirma que: “A nova geração de mulheres que decidiu adotar um gato é composta, na realidade, de pessoas jovens, sociáveis e ambiciosas. Para elas, os gatos não são um sinal de estar solteira, mas de independência”.
E para provar que isso não é apenas coisa de mulher nova iorquina, eu falei com duas gatas, que moram sozinhas com seus respectivos bichanos. 

As gatinhas - não resisti ao trocadilho ruim - Giulia Henne e Nancy Mello. E elas toparam falar um pouquinho sobre a sua convivência com gatos.
Porém, vamos falar dos felinos antes. 

Fato curioso, pois os gatos sempre foram associados às mulheres. Diversos comportamentos contribuem para essa relação. 

Os gatos gostam de se comunicar em silêncio, com olhares profundos, mostrando o que realmente sentem - já vi isso em algum lugar-, os bichanos gostam de ser cortejados e admirados, assim como as mulheres. 

Ou seja, eles se entendem. 

Assim como a maioria dos felinos os gatos são solitários e administram bem essa solidão, o que facilita o dia a dia em um apartamento, por exemplo. 

“Eu não gosto de ninguém enchendo muito o meu saco e muito menos dependendo 100% de mim. Nunca me atrapalhou em nada ter um gato, mesmo morando sozinha” afirma Nancy.

“Eu amo cachorros e gatos, mas tenho uma queda maior por gatos.

Acredito que essa preferencia seja muito ligada à personalidade de cada um. 

Eu, por exemplo, adoro sair, conhecer pessoas e interagir socialmente, porém adoro ter meu espaço e gosto que as pessoas respeitem esse espaço. 

Às vezes quero ficar sozinha olhando pro nada sem ter ninguém para me encher o saco. 

Os gatos são iguais: eles adoram carinho e são carentes, mas têm momentos que querem se lamber sem ter ninguém enchendo o saco. 

Ter um gato significa que você precisa entender e saber respeitar o espaço dos outros. 

Vejo muito mais como uma relação de amizade e respeito do que um bichinho de estimação. 

Os cachorros são fofos iguais e adoro o jeito estabanado de pedir carinho, mas morando em um apartamento fica complicado, pois eles precisam de muita mais atenção e dedicação", completa Giulia.
“Apesar de amar todos os bichos, eu prefiro gato por conta da personalidade, porque eles são mais na deles e não precisam de carinho e atenção o tempo todo igual um cachorro.” Conclui Nancy.
Então, amigão, antes de você torcer o nariz porque a gata mora sozinha com um bichano, pense duas vezes. 

Agora se você curte mulheres de personalidade e independentes, este pode ser um forte indicador.
post: Marcelo Ferla
texto: Marcel G. Costa
fonte: http://www.areah.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.