Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sábado, 6 de dezembro de 2014

Brasil desconhecido.


Câncer raro nos ossos.
O TRT do Paraná determinou pagamento de indenização a um técnico de Curitiba que trabalhou por 15 anos na manutenção de torres de telefonia e que desenvolveu um tipo raro de câncer nos ossos. As antenas não eram desligadas durante a execução do serviço.
A empresa Nokia Solutions and Networks do Brasil - antiga Siemens - pagará R$ 250 mil por danos morais além de pensão vitalícia correspondente a 50% do último salário.
O técnico foi admitido em agosto de 1986 e por mais de 15 anos realizou serviços de testes, reparos e instalações nas torres de transmissão de sinal.
Em 2002, um tumor foi encontrado na coxa direita do trabalhador, que foi diagnosticado como portador de condrosarcoma, um tipo raro de câncer nos ossos. Ele passou por diversas cirurgias, mas terminou aposentado por invalidez, aos 37 de idade.


Outros três colegas de trabalho desenvolveram o mesmo tipo de câncer e faleceram com idades de 28, 39 e 45 anos.
Embora a sentença de primeiro grau tenha sido de improcedência, a 7ª Turma do TRT-PR deu razão ao empregado, com base no laudo pericial: "informações da literatura médica relacionam as radiações eletromagnéticas com fenômenos celulares e genéticos capazes de promover câncer".
O acórdão afirmou ainda que "a empresa errou ao se omitir quanto à prevenção e ao monitoramento dos riscos, além de não ter feito controle da exposição do trabalhador à radiação". (Proc. nº 05608-2004-015-09-00-2).

Post: Marcelo Ferla
fonte: Espaço Vital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.