Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Opinião do Blogueiro.


Sobre os arquivos do Vaticano.


Ontem postei um material a cerca dos arquivos manuscritos do Vaticano que estão sendo disponibilizados por este Estado para a população em geral.

Não me dando por satisfeito, resolvi meter o bedelho sobre um assusto que a muito me inquieta.

Não sou católico, eis que discordo de uma série de doutrinas determinadas e defendidas piamente por este Estado multimilionário e dito "instituição religiosa”, sendo que é e sempre foi muito mais política do que religiosa desde que se deu por fundada.
Outro ponto que não entra em minha mente perturbada, em que pese estar postando este material a título de informação, uma das funções principais do blog, se refere ao fato do conteúdo real existente nos arquivos do Vaticano.
Sempre tive a ideia de que os arquivos do Vaticano são algo como a famosa e mítica Área 51. São dois lugares que guardam ”coisas”, dizem os conspiradores de plantão, inacreditáveis, horripilantes, terríveis, o que traz uma grande controvérsia entre céticos e religiosos em relação a estes lugares. Ambos defendem seus cofres como podem.
Mas minha cabeça não cessa quanto a este assunto, minha insanidade não me permite descansar.
Outro ponto que me vem e toma de assalto a cabeça sempre quando penso nos arquivos do Vaticano, eis que o tempo, no sentido de história da humanidade, permitiu a Igreja, desde os temos mais remotos até hoje, inicialmente por meio de suas Cruzadas e seus Templários, soldados de Deus que em nome deste executavam saques infames, todos regados a muito sangue advindo de muitas mortes de mulheres, crianças, idosos, homens e mulheres, acompanhados de atos como estupros, mulheres com suas barrigas grávidas mutiladas, homens torturados, humilhados e todos os outros tipos de infâmias que um exército psicopata e sedento por poder que circulava pelo mundo afora poderia exercer para instaurar a “ordem”.
Hoje não temos mais Templários em cavalos, mas sim, homens ainda igualmente sedentos por Poder. 

Onde há política se tem poder e disputa por este e o Vaticano em sendo Estado é político e tem quem queira muito poder.
Desta forma muito da humanidade e, quem sabe, além das coisas mundanas, pode ter sido retido pelo Vaticano e ai que entra algo que é de suma importância, o segredo.

Para que segredos se mantenham, por mais absurdo que possa parecer, se faz necessária a existência de locais assim, que podem conter tantos destes, tanto conhecimento e fatos lá relatados e registrados de alguma forma, que não podem ser trazidos a tona tamanha sua sensibilidade, tudo sob pena de um colapso ocasionado por uma paranoia coletiva de proporções nunca vistas antes efeito, justamente, pelo fato de não sermos capazes de absorver naturalmente o que lá se guarda. 

Somos limitados no quesito novidades, elas assustam muito e muitos, a maioria de nós.
Imaginem (e por isto fiz menção comparativa com a Área 51) se não só os cientistas de lá, mas os atuais guardiões de algumas das mais secretas informações da humanidade, todos católicos de ofício, sabem da existência, por exemplo, de vida fora da terra?
Veja bem. Uma informação destas destruiria, senão colocariam em ruína total, todos os alicerces do Vaticano e de uma parte muito inimaginável da humanidade que não só os católicos.
Faria da Bíblia dos católicos, do Alcorão dos mulçumanos, do Livro do Novo Mundo dos mórmons, do Livro dos Espíritos, dos espíritas, do Livro do Tao dos tauistas, do Torá dos Judeus e de tudo o mais que se autodenomina o maior dos livros da humanidade, coleção de pokets de ficção científica que se lê como um HQ, ou seja, coisas que não existem.
Não haveria mais credibilidade nas crenças e acontecimentos relatados nestes livros sagrados, assim como os ensinamentos contidos nestes, muitas das crenças religiosas, senão quase todas cairiam por terra, seria o caos em cima do caos, a população do mundo entraria em parafuso existencial, o universo não teria sido criado pelo sopro de Deus e seus vários nomes, eis  que já havia seres antes disso tudo por ai, Adão e Eva nunca estiveram sós e, o pior de tudo, bem provavelmente, somos os mais insignificantes, burros, retrógrados e ignorantes seres do universo.
Tenham certeza de que lá, naqueles corredores podem existir sim, segredos que não são suscetíveis de revelação, sob pena do fim da humanidade por suas próprias mãos.
Ocorreriam uma série de tragédias e suicídios generalizados imensuráveis, sem falar em todas as míticas passagens relatadas nestas obras ditas divinas que não valeriam mais nada, seria o fim da fé.
Seria sim, definitivamente, o apocalipse, mas não na forma do Juízo Final relatado no livro que leva este nome na Bíblia católica, mas algo muito pior, seria o apocalipse por nossas próprias mãos. Isso sim seria algo sobrenatural de se pensar, por ser algo de proporções inimagináveis.    

texto: Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.