Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Falando nisso.


Os jovens usam preservativo?
Pesquisa realizada pelo Nube revela a frequência de uso por brasileiros.


O método mais eficaz para prevenir diversas doenças sexualmente transmissíveis, foi tema da pesquisa realizada pelo Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios, entre os dias 29 de setembro e 10 de outubro. Jovens entre 15 e 26 anos responderam à questão “Você usa preservativo?”.
O resultado ainda preocupa.
O brasileiro é quem mais cedo inicia a vida sexual. Sendo assim, os anticonceptivos são distribuídos gratuitamente em diversas regiões, centralizadas em postos de saúde por todo o Brasil e podem ser utilizados para evitar gravidez não planejada, além de prevenir do contágio por doenças como a Aids (vírus HIV), hepatites e a sífilis, por exemplo.

Por ser um assunto polêmico, 8.160 internautas participaram e deram sua opinião, baseados em seus relacionamentos.
O retorno foi, de certa forma, positivo, pois o ranking do Nube foi liderado por 69,61% preocupados com a saúde.

A resposta, “Sim, sempre”, foi a alternativa de 5.680 estudantes.

Esse posicionamento reforça um levantamento feito pela Durex Global Face of Sex, em 37 países, onde o Brasil é o país com a maior proporção de uso de camisinhas na primeira relação sexual. De acordo com os dados, 76% dos tupiniquins usam preservativo na primeira vez, seguido por 75,5% dos gregos e 62,8% dos sul-coreanos. Já na Indonésia, esse índice é de apenas 27,6%.
Para Marcelo Cunha, analista de treinamento do Nube, há uma explicação para tal prudência:

“É evidente o apelo em muitos segmentos para chamar a atenção do público, seja na venda de produtos, serviços, nos programas de televisão, em músicas etc. A mídia ajuda tanto na potencialização, quanto na conscientização de um ato seguro”. 

Em sua visão, “falar sobre sexualidade na escola, nas empresas ou nos veículos de comunicação, não significa incentivo à pratica sexual, mas sim de acesso à informação”.
A opção “Às vezes” ficou em segundo lugar, com 14,31% dos votos (1.168 pessoas). “Algumas ações por impulso, agravadas pelo uso de substâncias capazes de alterar a percepção, como álcool ou drogas, diminuem o crivo avaliativo.

Outros, por optarem por diferentes métodos contraceptivos, se valem da confiança para decidir não usar preventivos”, enfatiza Marcelo.
Porém, algumas opiniões preocupam.

Com 11,96% dos pontos, “Se eu confiar na pessoa, não uso” foi escolhida por 976 usuários. “Mesmo havendo confiança, não é indicado desconsiderar o método, pois também previne gestações indesejadas, sendo um aliado das pílulas e remédios anticoncepcionais”, reforça o especialista.
Em último colocado, com 4,12% (336), ficaram os negligentes, no tópico  “Acho desnecessário”.  

“Uma análise pode responder os motivos desse posicionamento, pois achar a imunidade dispensável ou agir com descaso sobre a própria saúde ou a dos parceiros, é um grave desrespeito e falta de ética com seus pares”, ressalta Cunha.
A comunicação é o grande alicerce para a ciência sobre esse tema. Os pais devem ser os primeiros a orientar seus filhos, pois se esquivar das curiosas perguntas sobre sexo, obrigará os jovens a buscarem retorno em qualquer lugar e não há garantia sobre o teor das respostas.

“A educação sexual é necessária para o crescimento do ser humano, enquanto indivíduo, em razão de fortalecer as relações familiares, desenvolver e amadurecer casais e promover a dignidade e cidadania”, finaliza o especialista. Prevenir é sempre a melhor forma de preservar sua vida.
post: Marcelo Ferla
fonte: Nube - Marcelo Cunha, analista de treinamento do Nube

Um comentário:

  1. Parabéns pelo post, concientização é uma boa ação.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião.