Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Sabia dessa.


O corpo do imperador: 1972, a grande festa da ditadura militar.
Reportagem visual: no período mais duro da repressão política, ditadura decidiu comemorar o sesquicentenário da independência.
Joana Monteleone
O Sesquicentenário foi uma festa inventada pela ditadura militar brasileira para comemorar os 150 anos de independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1972. Inventada porque nunca se havia comemorado 150 anos de qualquer data cívica antes que o governo do general Médici convocasse os brasileiros para uma festa patriótica de tamanha magnitude.  Embalado pela vitória do Brasil na Copa de 1970, pelas pesquisas de opinião favoráveis ao governo e pelo milagre econômico, a ditadura brasileira resolveu fazer uma festa cívica jogando para escanteio os graves problemas políticos do país.
Assista à reportagem 'O Corpo do Imperador'




Naquele ano, muitos eventos giraram em torno das comemorações do Sesquicentenário, palavra difícil, que entrou para o vocabulário de muita gente. Organizaram uma minicopa de futebol na qual o Brasil convenientemente venceu Portugal por 1 a 0; fizeram estudos, livros e congressos de historiadores; arrumaram uma espécie de pré-inauguração do metrô de São Paulo e, mais importante do que tudo, trouxeram de Portugal o corpo do imperador d. Pedro I, símbolo da independência do país.

Marcelo Ferla
fonte: Última Instância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.