Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sábado, 19 de julho de 2014

Coisas bacanas.


HIP HOP EM IMAGENS.
A fotógrafa Martha Cooper foi pioneira em registrar a cena artística dos anos 1980 nas ruas de Nova York.
Fotos Martha Cooper / Cortesia da artista

“Não tenho uma grande técnica fotográfica, mas sei o suficiente para tirar uma boa foto, minhas habilidades técnicas são boas, mas não impressionantes. Para mim, o importante é ver a temática, sempre quero ter a ideia do que fotografar, não trato de mostrar emoções, senão as intangíveis. Quero ver como os garotos usam o spray, como procedem para fazer o esboço. Eu gosto de documentar o que vejo, isso é o que eu sou, uma fotógrafa documentarista.”
A infância definiu sua profissão na vida adulta, seu pai era dono de uma loja de câmeras fotográficas. Foi quando Martha Cooper descobriu a fotografia.
Desde então, a fotógrafa nascida em Baltimore, Estados Unidos, dedicou-se a retratar a arte gráfica das ruas de Nova York e as cenas do que, no início dos anos 1980, seria conhecido como o movimento hip hop.
Cooper estudou Arte na Universidade de Nova York e fez pós-graduação em Antropologia. Ela se via trabalhando em um museu de antropologia, porém, quando em 1975 foi morar na cidade, viu pela primeira vez um grafite. Foi o momento que detonou tudo.
“Não entendi o que era aquela aquilo; era uma cultura subterrânea, disse a mim mesma e quis aprender mais sobre esse aspecto. As pessoas não sabem o que é isso, nem eu. Foi o que eu disse a mim mesma, e comecei a estudá-la.”
Martha Cooper viu a evolução da arte nas ruas de Nova York e conseguiu documentá-la, entre inevitáveis malabarismos financeiros que lhe permitiram executar seu trabalho pessoal financiado pelo seu trabalho profissional. “Eu queria ser uma fotógrafa de revistas, trabalhei também para a “National Geographic”, fiz muitas fotos para matérias, algumas não tão interessantes, mas foi assim que consegui financiar meu trabalho pessoal.”
Cooper vai para as ruas sabendo o tempo todo que está correndo riscos, apesar de dizer que nunca teve problemas com a polícia para fazer o seu trabalho “Antes eu tivesse tido algum (problema), porque teria sido uma boa história, sei que me arrisco o tempo todo, mas tenho uma credencial de imprensa e isso sempre protege, principalmente em uma cidade como Nova York.”
Aos 71 anos, Martha parece incansável, a vitalidade escapa pelos seus olhos: “Frequentemente sei que estou buscando alguma coisa, mas uma das coisas das quais eu gosto é não saber onde vou encontrá-la, é como andar para caçar um tesouro”.
Foi essa caça que levou Cooper a se converter acidentalmente na primeira fotógrafa a documentar o cenário hip hop em Nova York, inclusive antes que esse termo existisse.
Conheça abaixo algumas das imagens de Martha Cooper registradas nas ruas de Nova York nos anos 19080.
Tradução por Mari-Jô Zilveti
Texto originalmente publicado em Animal Político, informativo digital produzido no México com destaque para  informações políticas, além de notícias internacionais.
Fotos Martha Cooper




"Street Play"
Marcelo Ferla
fonte: Revista Sanuel.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.