Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Falando nisso.

Amarildo foi torturado por policiais antes de morrer, aponta inquérito policial.
Ajudante de pedreiro desaparecido desde julho teria sido submetido a choques elétricos.


O inquérito policial sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro, Amarildo de Souza, ocorrido em 14 de julho, concluiu que ele foi torturado por policiais antes de morrer.
Segundo informações do jornal O Globo, Amarildo foi submetido a choques elétricos e asfixiado com saco plástico, enquanto o major Edson Santos e outros policiais tentavam arrancar informações sobre a localização de armas e traficantes da parte baixa da favela, onde ele morava.
A tortura teria ocorrido em um dos contêineres da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Epilético, Amarildo não resistiu às agressões e morreu.
Com a conclusão da investigação policial, dez policiais, da UPP da Rocinha, foram indiciados por tortura seguida de morte e ocultação de cadáver. Os policiais negam a participação no sumiço do ajudante de pedreiro, que virou bandeira de recentes protestos no Rio.
O Ministério Público já recebeu o inquérito e deve remeter o caso à Justiça nos próximos dias.

ZERO HORA
post: Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.