Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

David Burnett.


O fotógrafo que registra as Olimpíadas com câmeras antigas.



O que importa mais: a qualidade da câmera ou o olhar do fotógrafo? 
Sem dúvida nenhuma, a última opção. 
Um grande fotógrafo é capaz de criar imagens incríveis até mesmo com uma câmera velha de plástico. 
Literalmente.


David Burnett é este fotógrafo. 
Ele utiliza, entre outros equipamentos, uma câmera Holga de plástico que utiliza filme de médio formato 120mm, lançada em 1982. 
Outra câmera que Burnett utiliza é uma Speed Graphic 4×5, uma médio formato dos anos 1950, historicamente conhecida como a mais famosa câmera de imprensa. 
Ele também usa uma Canon EOS 10D, câmera DSLR lançada em 2003 com 6 megapixels.


“É uma questão de sorte, de não estragar tudo, e de tentar estar pronto no momento que acontecer de estar no lugar certo”, disse Burnett ao The New York Times. 
O trabalho de David Burnett é o atestado de uma grande verdade: quem faz a fotografia é o fotógrafo, independente do equipamento que ele estiver usando.
“Os Jogos Olímpicos são um lugar onde os melhores atletas do mundo encontram os melhores fotógrafos do mundo”, diz David Burnett.


Ele registra as Olimpíadas desta forma desde 1984, em Los Angeles. 
“É como decidir fotografar os jogos com os dois braços amarrados. 
Qual o sentido? 
Só estou tentando fazer algo que deixe as fotos um pouco mais especiais para mim”, explica ele sobre fotografar estas câmeras.


“Minha missão, eu sinto, é estudar o esporte, o movimento, os jogadores e capturar imagens que os espectadores não possam testemunhar simplesmente sentados observando os jogos”. 
Atualmente, o trabalho de Burnett está em exposição na galeria Anastasia Photo sob o nome de “Man Without Gravit” (Homem sem a gravidade), em Nova York. 
Confira mais fotos de David Burnett:










post: Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.