Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Apoio essa luta!!!


Como fica a vida sexual após a retirada da próstata?
Câncer prejudica o sexo mesmo antes da retirada da glândula.
por Greyce Vargas/Especial
Foto: Divulgação / clicRBS

A resposta para a pergunta é uma só: a vida sexual muda depois que o homem precisa retirar a próstata. Mas muda também antes, quando ele é diagnosticado com alguma doença na glândula. O câncer de próstata acomete um em cada seis homens brasileiros e 95% deles procura um médico quando já está em estágio avançado.
Há várias formas de tratar o câncer de próstata. Se ele for diagnosticado no início, quando os sintomas praticamente não são percebidos, a próstata pode nem ser retirada e técnicas menos agressivas são utilizadas. 

Se a doença for encontrada em estágio avançado, então a retirada é quase certa.
– Infelizmente, em 60% dos casos de cirurgia de retirada da próstata há lesão da enervação que comanda a ereção. 

Isso significa que há modificação nos nervos que ficam próximos à glândula e pode levar o homem à impotência – explica o médico Sérgio Iankowski.
A próstata só é retirada quando o câncer já está em estágio avançado e não respondeu a outras terapias. 

A cirurgia é feita por uma incisão abdominal e, então, a glândula é retirada por baixo da bexiga. 

O homem pode ser liberado do hospital em até 24 horas. 

Se a recuperação correr bem, uma semana depois ele está pronto para o sexo novamente.
O sexo não muda. O que pode mudar é a ejaculação. 

Como a válvula que direciona o sêmen para fora da uretra é interrompida durante a cirurgia, então o fluído é redirecionado para a bexiga.
– Se não há lesão na enervação, então o orgasmo se mantém igual.

A ejaculação existe, mas sai na urina depois.
Seis meses depois da cirurgia, os exames podem ser feitos para mostrar se houve lesão nos nervos que ficam próximos à glândula. Iankowski lembra ainda que 90% dos casos de câncer de próstata podem ser tratados se diagnosticados precocemente. 

Como a doença, nessa fase, é assintomática, todo homem quando chega aos 45 deve ir ao urologista e fazer o PSA e o exame de toque. 

PSA é uma enzima presente em células das glândulas anais e sua presença pode ser detectada no sangue. 

Sozinho, o PSA não detecta o câncer, apenas indica alterações. 

É o exame de toque que pode dar o veredicto final. 

Depois dos 45, uma vez ao ano, o exame deve ser feito. 

Quem tem casos da doença na família deve encontrar o urologista antes.
– Além do câncer, uma patologia bastante comum depois dos 55 anos é a hiperplasia prostática, que faz com que o volume da próstata aumente e, se não tratada, pode se tornar um câncer – acrescenta o médico.
As causas dos problemas relacionados à próstata ainda são desconhecidas, mas o envelhecimento, o sedentarismo e alimentação saudável podem ser formas de prevenção também.

post: Marcelo Ferla
fonte: Zero Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.