Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Cinema.


O homem mais procurado, aclamado romance de John Le Carré, chega aos cinemas e ganha nova edição.



Considerado pela crítica o melhor livro já escrito pelo mestre do romance de espionagem John Le Carré, O HOMEM MAIS PROCURADO chega aos cinemas brasileiros no dia 9 de outubro.

Dirigido pelo cultuado fotógrafo holandês Anton Corbijn (que dirigiu videoclipes de artistas como U2, Depeche Mode e Nirvana e o longa Control, sobre o vocalista da banda Joy Division, Ian Curtis) e com produção executiva do próprio autor, o filme conta com grandes nomes no elenco, como Philip Seymour Hoffman (falecido em fevereiro deste ano), Willem Dafoe, Rachel McAdams e Robin Wright.

O filme ganhou o prêmio da Feira do Livro de Frankfurt de Melhor Adaptação Literária Internacional de 2014.

A premiação será no dia 10 de outubro, um dia após a estreia do longa-metragem no Brasil.
O romance é o sétimo de Le Carré a ganhar as telas do cinema, e segue uma trilha de bem-sucedidas adaptações: o primeiro foi O espião que saiu do frio (1965), seguido por A garota do tambor (1984), estrelado por Diane Keaton; A casa da Rússia (1990), com roteiro de Tom Stoppard e Sean Connery e Michelle Pfeiffer no elenco; O alfaiate do Panamá (2001), com Pierce Brosnan; O jardineiro fiel (2005), de Fernando Meirelles, com Ralph Fiennes e Rachel Weisz; e O espião que sabia demais, com Gary Oldman e Colin Firth, uma das maiores e mais elogiadas estreias do cinema inglês em 2011.
Lançada em 2010 pela Record, a obra chega agora às livrarias em nova roupagem, com capa inspirada no filme.

O homem mais procurado leva o leitor à cidade de Hamburgo em uma trama que se passa imediatamente depois dos atentados de 11 de setembro em Nova York e gira em torno de Issa Karpov, um checheno muçulmano devoto que chega clandestinamente à cidade e é constantemente vigiado, mudando a vida de todos com que mantiver contato. 

Com a ajuda de Annabel, uma jovem e idealista advogada alemã especializada em direitos humanos, ele procura reaver uma possível herança deixada pelo pai e evitar a deportação, em uma história onde não há uma linha clara de divisão entre mocinhos e bandidos.
As críticas na época do lançamento foram consagradoras: para o britânico The Guardian, "este é o romance mais forte e vigoroso" do autor.

O New York Times Book Review foi categórico: "O romance mais impactante de Le Carré". Para o Los Angeles Times, "O homem mais procurado tem um enredo complexo, belissimamente escrito e atual como a manchete dos jornais de hoje". "Recomendo sem titubear", diz o Independent.


Imprensa estrangeira:
The New York Review of Books: http://tinyurl.com/2baf6bh
Los Angeles Times: http://tinyurl.com/35vqo96



O HOMEM MAIS PROCURADO
(A most wanted man)
John Le Carré
Tradução de Marcelo Schild
Editora Record | Grupo Editorial Record
364 páginas
R$ 55,00
Formato: 16 x 23 cm
Mestre do romance de espionagem, com mais de 300 mil exemplares vendidos no Brasil, John Le Carré encontrou em seus anos no serviço secreto britânico, na década de 60, inspiração para muitos de seus 23 livros.

A Guerra Fria era, ao mesmo tempo, pano de fundo e personagem de romances magistrais, como o clássico O espião que saiu do frio, primeiro de seus livros a ser adaptado para o cinema, em 1965.

Em O homem mais procurado, que chega agora também às telonas, Le Carré transporta o leitor a um passado mais recente e fresco na memória coletiva de seus leitores: a guerra ao terror iniciada imediatamente após os atentados de 11 de setembro em Nova York.
A trama é ambientada na cidade alemã de Hamburgo, de onde partiram pelo menos três terroristas que participaram dos atentados e onde foram identificadas várias células da Al-Qaeda.

Hamburgo foi também a cidade onde Le Carré serviu como adido político quando servia ao Ministério de Relações Estrangeiras britânico nos anos 60.

Aos 76 anos, os últimos 40 dos quais passados nas montanhas da Cornualha em quase reclusão, Le Carré constrói em O homem mais procurado a trama de espionagem mais elogiada dos últimos tempos pela crítica britânica e americana. Foi considerado o livro mais impactante do mestre pelo New York Times Book Review.

O mais forte e vigoroso pelo The Guardian.
Após o 11 de Setembro, Hamburgo tornou-se uma cidade suspeita, pois havia acolhido alguns dos autores do atentado. A necessidade de evitar novos hóspedes indesejados impôs aos imigrantes estado de emergência.

A história se passa em torno de Issa Karpov, um muçulmano que deixou sua terra natal para estudar medicina na Europa Ocidental, onde freqüenta a mesquita de Hamburgo.

Filho ilegítimo de uma agricultora chechena e de um oficial russo, Karpov é procurado pelos serviços secretos dos Estados Unidos, da Rússia e da Alemanha por diferentes motivos.
Annabel, uma jovem e idealista advogada alemã especializada em direitos humanos, decide salvar Issa da deportação, e prontamente a sobrevivência do cliente se torna mais importante do que a própria carreira.

Em busca do misterioso passado do checheno, Annabel enfrenta Tommy Brue, o herdeiro do Brue Frères, um banco britânico em declínio sediado em Hamburgo.
Tommy não demora a descobrir que o banco da família mantém uma conta em nome do pai de Issa, um líder militar cruel que acumulou riquezas através de práticas desumanas. Determinado a lidar com o imigrante apenas para manter em segredo as conexões imorais do pai, o banqueiro descobre em Annabel uma aliada, e ambos se unem para defender Issa, acusado de colaborar com o terrorismo, e tentar impedir que ele retorne às mãos da CIA.
Enquanto espiões os observam e determinam como usar esta associação para o "bem maior" da Inglaterra, da Alemanha, ou dos Estados Unidos, Brue reconhece que seu trabalho no banco não é menos inescrupuloso do que a guerra entre fundamentalistas e poderes democráticos.
John Le Carré nasceu em 1931 e estudou na Universidade de Berna, na Suíça, e em Oxford, na Inglaterra. Lecionou no Ethon College e, durante a Guerra Fria, trabalhou no serviço britânico de inteligência.

Seus últimos cinquenta anos foram dedicados à literatura. Seu terceiro romance, O espião que saiu do frio, assegurou-lhe grande prestígio, consolidado pela aclamação da trilogia O espião que sabia demais, Sempre um colegial e A vingança de Smiley. Seus livros recentes incluem Uma verdade delicada, Nosso fiel traidor, O canto da missão e O jardineiro fiel (que chegou às telas de cinema sob a direção de Fernando Meirelles). 

A elogiada adaptação de O espião que sabia demais para o cinema, com direção de Tomas Alfredson e com Gary Oldman e Colin Firth no elenco, foi uma das maiores e mais bem criticadas estreias do cinema inglês em 2011.

Divide seu tempo entre Londres e a Cornualha. http://www.johnlecarre.com
Departamento de Imprensa - Grupo Editorial Record / Tel: (21) 2585-2047
Imprensa@record.com.br

Post: Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.