Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Falando nisso.



Mulheres mostram quais são as suas posições preferidas em série fotográfica impactante.
Redação Hypeness
Uma pergunta ambígua feita para Lauren Conrad, uma das personalidades mais famosas de reality show nos Estados Unidos, teve como resposta da estrela um tapa na cara com mãos de veludo na sociedade que insiste, de alguma forma, na discriminação sexual das mulheres no trabalho.
A pergunta feita a Lauren Conrad, quando foi convidada por uma estação de rádio para falar de sua carreira, foi:

“Qual sua posição favorita?”. É possível, para qualquer um, perceber o inoportuno questionamento de apelo sexual. Mas Lauren manteve a postura e respondeu sorridente: “CEO”.
Inspirados na resposta genial de Lauren Conrad, o site Mic questionou 23 mulheres sobre suas posições favoritas ao desempenhar as respectivas profissões.

O resultado foi uma série de fotos com todas elas segurando cartazes e falando sobre o que é mais gostoso fazer em suas carreiras profissionais.

1. Ilyse Hogue, presidente na NARAL Pro-Choice America

“É difícil escolher a melhor parte do meu trabalho, mas se eu tivesse, diria que é a equipe. Um líder só é eficaz se todos à sua volta estão apaixonados pelos trabalhos a se desenvolver. Isto impulsiona a luta das pessoas pela liberdade reprodutiva. Se o outro lado é o último suspiro de um sistema patriarcal ultrapassado, a equipe que lidero é a própria expressão do que o futuro será, abraçando a justiça, a igualdade e o respeito à diversidade. Meu trabalho é ajudar a canalizar esta visão em realidade”.

2. Patricia Valoy, engenheira civil no STV Inc.

“Eu trabalho em uma empresa de gestão de planejamento, arquitetura, engenharia e construção. Também sou ativista e escritora feminista. A melhor parte do meu trabalho é ser capaz de trabalhar com engenheiros e comerciantes para ver um projeto sair do papel e se tornar uma estrutura útil”.

3. Anna Holmes, escritora e editora na Fusion

“Com ajuda de uma equipe crescente e talentosa, tentando descobrir a melhor forma de contar histórias de uma forma digital interativa e atraente. A melhor parte do meu trabalho é que eu e meus amigos temos a liberdade de experimentar, o que é necessário, porém raro no quesito criar algo novo e significativo”.

4. Christina Wallace, diretora de programa no American Museum of Natural History

“Estou construindo um novo programa voltado para introduzir e incentivar os jovens na ciência da computação. É um papel incrível trabalhar em uma instituição para alterar a proporção das mulheres na ciência da computação e garantir que elas tenham a oportunidade de criar e não apenas consumir tecnologia”.

5. Caroline Modarressy-Tehrani, host e produtora no livestream HuffPost Live 

“Desde que nos lançamos, há quase dois anos, tive a oportunidade de entrevistar pessoas inspiradoras. Além de cobrir notícias do mundo, hospedamos um painel semanal com foco em questões e notícias criadas por mulheres”.

6. Jo Wolfe, bióloga evolucionista no American Museum of Natural History

“Eu uso dados de fósseis e espécies vivas para ajudar a construir a Árvore da Vida por artrópodes (crustáceos, insetos, aranhas e outros). Quando menina, eu visitei o museu e vi fósseis, restos de animais bizarros que viveram e morreram centenas de anos atrás e sabia que tinha que estudá-los. Não havia nenhum plano B”.

7. Dior Vargas, gerente de produção na NOOK Media/BN.com

“Minha parte favorita deste trabalho é que tenho que estar na vanguarda dos mais recentes desenvolvimentos na publicação da banca de jornal online. Além disso, comecei a trabalhar com editoras de 32 países e em 21 línguas! Há pouquíssimas mulheres de cor neste setor e eu estou muito feliz por fazer parte disso”.

8. Soraya Chemaly, escritora

“Eu sou uma escritora prolífica, crítica cultural e ativista da mídia. Meu trabalho aparece no Salon, CNN, Guardian, The Nation, Time, The Huffington Post, e mídias de foco como Role Reboot e RHRealityCheck. O que eu mais gosto no meu trabalho é a capacidade que me dá de levar as pessoas a desafiar as suposições cotidianas que impedem a igualdade”.

9. Nisha Chittal, gerente de mídias sociais e comunidade no MSNBC

“Meu trabalho inclui envolvimento com produtores de TV para integrar as mídias sociais e comunidade na programação NO AR da MSNBC, e elaboração de estratégias, como empacotar e distribuir novas histórias para maximizar nosso tráfego social. Minha parte favorita é estar na inserção de TV e notícias digitais. É um lugar fascinante e eu adoro descobrir como dar a notícia para as pessoas onde elas estão, no formato que elas querem”.

10. Zerlina Maxell, analista política e escritora freelance

“A parte favorita do meu trabalho é que estou fazendo o que vem naturalmente. A política é pessoal para mim, e não há uma maneira de ficar em silêncio e observar a política acontecer sem elevar a minha voz e mudar a conversa sobre questões que me preocupam. Adoro debater sobre notícias pela minha formação jurídica, torno-me um perito e isso é perfeito. Divertido!”

11. Maureen Ahmed, conselheira no Women and Families



“Como o mais novo membro de uma organização sem fins lucrativos que combate a violência doméstica a crianças e mulheres muçulmanas em Nova Iorque, eu tenho a chance de retribuir para a cidade onde nasci, ao mesmo tempo que defendo o nome das mulheres de cor e das famílias imigrantes. Como membro do Conselho de Administração, atuo em uma posição de confiança para a comunidade e sou responsável pela gestão eficaz da organização”.

12. Courtney Harvey, diretora de operações na Women Moving Millions

“Sinto-me inspirada todos os dias. Quantas pessoas podem dizer o mesmo sobre seu trabalho? Trabalho com filantropos visionários, líderes de Ong´s inovadoras e uma equipe talentosa que compartilha da mesma vocação. O avanço das meninas e mulheres para a melhoria do mundo”.

13. Daniela Ramirez, especialista em relações de mídia na Planned Parenthood of America & Planned Parenthood Action Fund

“Sou uma feminista de longa data e ativista sexual e reprodutiva. Tenho mestrado e bacharelado em estudos sobre as mulheres no Boston College, que, na verdade, foi onde meu amor por todas as coisas feministas começou. Eu também gosto de escrever e fazia contribuições para o Mic e páginas de cultura. Minha parte favorita no trabalho é saber que ajudo com informações precisas sobre a saúde da mulher na mídia, para criar uma narrativa que é, na verdade, o reflexo do que a maioria das mulheres neste país acredita: que as mulheres, e não os políticos, sabem o que é melhor para elas e seus corpos”.

14. Echo Collins-Egan, diretora do ACCESS Health International´s Moroco

“Eu comecei no ACCESS, em Marrocos, em janeiro de 2013, e eu fiz tudo para captar recursos, pesquisas, projetos de design, network e tentar ser um catalisador para mudanças. Apesar de ter sido um começo solitário, eu amo a liberdade, a satisfação e os desafios intelectuais que surgem com o trabalho. Conectar pessoas que abordam os problemas essenciais de saúde com possíveis soluções é inspirador”.

15. Emma Gray, editora sênior na Huffington Post

“Já trabalhei em toda a Huffington Post. Me formei na McGill University, em Montreal. Uma feminista e entusiasta. Minha parte favorita do trabalho é começar a desenvolver uma história em uma plataforma que dez milhões de pessoas visitam. Dar uma voz pública para mulheres que não têm necessariamente uma audiência é sentir meu trabalho incrivelmente cumprido todos os dias”.

16. Catherine Gratton-Gagné, coordenadora de anúncio na indústria da moda



“Meu papel é uma excelente opção para mim mesma porque permite estar diretamente envolvida na produção e divulgação da propaganda. Também permite que eu trabalhe com uma grande variedade de atores no setor, agências, clientes e fornecedores. A cada dia, minha capacidade de ser eficiente, diplomática e organizada é colocada em teste e eu simplesmente amo isso”.

17. Anne Thompson, produtora no MSNBC

“Eu amo trabalhar no MSNBC com Steve Kornacki porque um dia estou pesquisando coalizações políticas de mudanças que negaram atendimento domiciliar a trabalhadores, e no outro dia estou indo para Arkansas, uma cidade no meio rural, para cobrir o jantar anual guaxinim”.

18. Anushay Hossain, jornalista na AnushaysPoint.com

“Depois de passar uma década como analista de política feminista no Capitólio, dediquei-me full-time à minha própria escrita em 2013. O que eu mais amo em ser jornalista freelance é ter 100% de controle da minha agenda. Estar no comando do meu próprio trabalho permite-me experimentar os grandes momentos de ser mãe e ainda ter uma carreira”.

19. Avital Norman Nathman, escritora freelance

“Eu escrevo e coloco uma lente feminista sobre uma variedade de tópicos incluindo a maternidade, saúde materna, gêneros e direitos reprodutivos. Adoro ser freelance porque permite que eu siga minhas paixões e descubra outras novas”.

20. Susan McPherson, fundadora e CEO no McPherson Strategies

“A melhor parte do meu trabalho é o brainstorming sobre a criação de campanhas criativas para inspirar o melhor de nós todos os dias”.

21. Bea Arthur, fundadora e CEO no Pretty Padded Room, um site online de terapia para mulheres

“A melhor parte do meu trabalho é que eu acredito que minha equipe está construindo um mundo melhor – o tipo de mundo em que eu quero viver. Com o Facebook e o Instagram, parece que só queremos mostrar nossas melhores versões, mas o que faz o mundo girar, é o outro lado da moeda: o pecado, a vergonha, a história. As verdadeiras histórias”.

22. Wendi Kent, fotógrafa e fotojornalista freelance

“Eu amo o que eu faço porque sou capaz de apoiar causas em que acredito, compartilhando imagens poderosas e expondo a injustiça para ajudar a envolver aqueles que podem fazer a mudança no mundo”.

23. Lourdes Ashley Hunter, acadêmica, oradora e revolucionária

“Eu também sou co-fundadora e diretora da Organizational Development of Trans Women of Color Collective of Greater New York. Nosso trabalho concentra-se na eterna narrativa e liderança de mulheres transgêneras de cor. A parte favorita do meu trabalho é inspirar os outros a viver assumidamente suas verdades”.

Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.