Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

terça-feira, 1 de abril de 2014

Arte.


Sam Jinks cria esculturas incrivelmente hiper-realistas de seres humanos. Vulnerabilidade emocional nos sujeito e no resultado de seu trabalho e move suas audiências. Para Jinks, suas obras não são representações literais, mas baseiam-se na combinação de diferentes fases da vida.
Seus personagens representam muitas vezes, uma mistura de diferentes pessoas que ele conhece na vida real. Ele usa fotos para recriar esses corpos da forma mais real, detalhada e fiel aplicando nestas sua composição artística.
Jinks usa os temas de potencial não realizado, o antigo e o novo para sugerir: "os números estão congelados no tempo, simultaneamente, no início e no fim da vida. Isso pode ser interpretado como uma reflexão melancólica de perda, ou como a experiência de gerações que está junto com a consciência dos ciclos de vida e em diferentes estágios de desenvolvimento".
Suas obras criam um diálogo a nível técnico e emocional através de uma forte sensibilidade aos detalhes. Criadas a partir de silicone, fibra de vidro, resina, carbonato de cálcio e cabelo humano essas obras contêm um profundo senso de vulnerabilidade e são notáveis ​​em sua interpretação marcante da condição humana.

















Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.