Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sábado, 21 de janeiro de 2017

O óbvio Lula.


O óbvio Lula.
Ex-presidente lustra sua nova face ao lançar pré-candidatura a presidente, mas a estratégia do petista é mais do que batida.

JARARACA NA CABEÇA Depois de depor na PF no ano passado, Lula disse que a pancada acertou a cobra no rabo e não na cabeça. Não é o que parece.
Texto: Germano Oliveira

São dois Lulas. 
O primeiro ostenta um currículo que fez o mundo acreditar na sua sofrida história de vida. 
É aquele que veio de Guaranhuns (PE) num caminhão pau de arara, morou em favelas, comeu o pão que o diabo amassou. 
O pai abandonou a mãe para viver com a cunhada e assim deixou sete crianças morando ao relento. 
Cresceu e virou sindicalista. 
Autodidata, aprendeu a língua dos operários. 
Fazendo acordo com as montadoras de veículos, conseguiu benefícios para os metalúrgicos. 
Dizia que não era de esquerda e que queria mesmo é que os operários pudessem comprar seus próprios carros. 
Se transformou em herói dos trabalhadores. Desafiou o regime militar. Um dia seria presidente da República.
Disputou com Fernando Collor de Mello e quase venceu em 1989. 
Só perdeu porque apareceu uma ex-mulher dizendo que ele propôs que ela abortasse a filha Lurian. 
Mas aí apareceu em sua vida o advogado Roberto Teixeira, que se transformou em seu compadre e protetor. 
E a partir daí surgiu o novo Lula, aquele que hoje é réu em cinco ações criminais por corrupção. 
O Lula que fazia qualquer negócio para ganhar eleição. 
Primeiro, Teixeira lhe deu uma nova “roupagem”. 
Tirou-o da casinha humilde que ele tinha perto da FEI, em São Bernardo do Campo, e levou-o para morar, de graça, numa ampla casa que Teixeira tinha nas imediações do Sindicato dos Metalúrgicos. 
Lula passou a andar em carro com motorista. 
Virou um lorde. 
Lula trocou por uísque a cachaça que tinha num barril no escritório do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, onde foi presidente durante mais de uma década. 
Passou a fumar charutos cubanos que o recém amigo Fidel Castro lhe mandava.
Suas surradas camisetas foram trocadas por ternos finos. 
Mesmo assim, perdeu as eleições de 1994 e 1998. 
Afinal, foi derrotado pelo intelectual Fernando Henrique Cardoso, com o apoio do Plano Real e da sociedade que via Lula como um operário pouco letrado e que falava “menas”.
Até que em 2002, surgiu o empresário José Alencar e seu caixa de dinheiro dos empresários para a campanha. O PT não queria que Lula colocasse Alencar de vice. 
Lula bateu o pé e disse que se Alencar não estivesse na chapa, ele desistiria de ser candidato. 
O PT saiu derrotado do jogo de braço. 
Durante o debate com os candidatos na TV Bandeirantes em agosto de 2002, o tesoureiro do PT, Delúbio Soares, disse a este repórter que o PT não perderia a eleição de jeito nenhum. 
“Estamos cheios de dinheiro. Vamos gastar o que for preciso para ganhar”
E Lula ganhou a primeira eleição.
O currículo de bom mocinho de Lula, no entanto, começou a ser jogado na lata do lixo. 
Para se sustentar no poder, Lula e José Dirceu comandaram o mensalão. 
Para manter os partidos aliados no cabresto, o PT de Lula tirou dinheiro de estatais e passou a comprar deputados. 
Com isso, a cúpula do partido foi dizimada. 
Muitos foram condenados à cadeia. Lula escapou. 
Sempre disse que não sabia de nada. 
Se reelegeu presidente em 2006, apesar do mensalão.
Depois, com a economia ainda em alta, elegeu um poste para sua sucessão, a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. 
Sem aptidão para governar, ela só deu certo no primeiro mandato porque Lula estava por trás. 
Depois soubemos por que. 
Na verdade ele orquestrava, segundo o Ministério Público Federal, o esquema de desvios bilionários da Petrobras, tanto para manter o PT e partidos aliados, como para o seu próprio enriquecimento.

MAIS DO MESMO
E logo foram surgindo denúncias de que aquele Lula de Guaranhuns havia morrido. 
Estava em ação o Lula amigo de Roberto Teixeira, das benesses de amigos, de presentes de empreiteiras, de milionárias propinas. 
Com o desenrolar das investigações da Operação Lava Jato, a partir de 2014, o nome de Lula foi surgindo como o mentor dos desvios na Petrobras.
Hoje, ele é réu em cinco ações por corrupção, das quais duas na Lava Jato. 
Em uma delas, Lula é suspeito de ter um triplex no Guarujá pago pela empreiteira OAS. 
Em outra, Lula é acusado de receber favores da Odebrecht na compra de um terreno para o Instituto Lula e também na compra de uma cobertura em São Bernardo, situada no mesmo andar onde mora. 
O ex-presidente é réu ainda na Justiça de Brasília, por ter obstruído a Lava Jato e favorecido a Odebrecht em negócios na África. 
Lula é acusado também de favorecer amigos na confecção de medidas provisórias que acabaram envolvendo também um de seus filhos.
É esse Lula – que pode ser condenado ainda este ano por corrupção – que está lançando-se candidato a presidente da República. 
Sua candidatura foi debatida em reunião do PT nesta sexta-feira 20. 
A ideia é que Lula seja oficializado pré-candidato oficialmente no Congresso Nacional do partido de 7 a 9 de abril próximos. 
Assim, segundo a tese petista,dois objetivos seriam cumpridos: ele escaparia das malhas da Justiça e serenaria as disputas internas, que pregam a refundação e uma faxina ética, que afastaria do comando do partido próceres da corrente Construindo um Novo Brasil. 
Se for condenado, uma já surrada narrativa sairá do forno: Lula se dirá “vítima de perseguição política” em mais uma “conspiração da mídia e das elites” para evitar que ele regresse ao poder. 
É o óbvio ululante. 
Sem dúvida, uma característica marcante de nova face deste Lula, que já se autodefiniu como uma metamorfose ambulante, é a incapacidade de se reinventar.

LULA OUTRA VEZ?
• Candidatura de Lula a presidente da República foi referendada em reunião do PT nesta sexta, 20;
• Lula deve ter pré-candidatura lançada de 7 a 9 de abril, durante Congresso Nacional do PT;
• Será a sexta candidatura a presidente. Ganhou duas: em 2002 e 2006. 
Mas perdeu três seguidas: 1989, 1994 e 1998;
• Depois que deixou o poder em 2010, passou a ser acusado de corrupção;
• Já virou réu em cinco ações criminais e pode ser condenado ainda este ano;
• Se for condenado em primeira instância e a sentença referendada no Tribunal Regional poderá ser preso;
• Nesse caso, não poderá ser candidato a qualquer cargo eletivo.

post: Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.