Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Arte.


Laudo revela origem do afresco inédito descoberto durante o restauro do Museu Casa de Portinari.
Análise foi realizada por especialistas da Comissão de Autenticidade das Obras de Candido Portinari, do Projeto Portinari.


Um trabalho realizado a quatro mãos. Esta é a conclusão da análise realizada pela Comissão de Autenticidade das Obras de Candido Portinari, responsável por determinar a autoria do afresco inédito descoberto durante o restauro do Museu Casa de Portinari, na cidade de Brodowski, interior de São Paulo. 

Os pesquisadores concluíram que o artista paulista colaborou para a realização do afresco, mas que a pintura teve a participação de outro artista, não identificado. 

O resultado sai às vésperas das celebrações pelos 111 anos de nascimento de Portinari, comemorados no dia 30 de dezembro.
A Madona com Menino Jesus, como foi batizada, não pode ser considerada uma obra finalizada, mas um estudo de figuras e da aplicação dos tons pastéis. 

Mesmo assim, concluiu a Comissão, deve ser inscrita no rol das obras autênticas de Portinari, com a observação de que sua autoria é compartilhada. 

Portinari orientou este outro artista na execução geral da obra e pintou, ele mesmo, o detalhe do rosto do Menino Jesus. 

O laudo é assinado por Christina Penna, Edson Motta, Cláudio Valério e Noélia Coutinho, além de João Candido Portinari, diretor-geral do Projeto Portinari e filho do artista.
As análises começaram em maio deste ano, logo após a reinauguração do Museu Casa de Portinari. 

O afresco foi descoberto durante as obras de restauro realizadas pelo Governo do Estado de São Paulo, proprietário do museu, entre 2012 e 2013. A pintura estava coberta por camadas de tinta de parede comum, ao lado da porta, em um cômodo que já havia sido uma varanda e que mudou de função ao longo de sucessivas reformas.
A casa, onde o pintor passou a infância e para onde voltava com freqüência ao longo de toda sua vida adulta, era um grande laboratório do artista, que preencheu suas paredes com rascunhos e obras finalizadas nas técnicas de pintura mural e afresco.
Assim que a nova pintura foi descoberta, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo procurou o Projeto Portinari, instituição responsável pela avaliação de autenticidade das obras do artista, que designou uma comissão especializada para estudar o caso. 

A preocupação se deu porque pelo menos outros três artistas, a convite de Portinari, também deixaram obras nas paredes da casa: Paulo Rossi Osir, José Moraes e Joanita Blank.
“A descoberta do novo afresco foi bastante importante porque ele se constitui em um testemunho valioso sobre o processo de trabalho e sobre a relação do Portinari com outros artistas. 

Ele reforça a dimensão da Casa como um espaço de estudo e trabalho do artista”, afirma o Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, Marcelo Mattos Araujo.
Segundo Angélica Fabri, diretora executiva da ACAM Portinari, organização social de cultura que administra o Museu Casa de Portinari em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura, o fato de o artista ser um dos autores do novo afresco também fortalece a relação dele com sua terra natal. 

“Portinari costumava passar temporadas em Brodowski (SP), sempre em busca de ideias e de inspiração. Ele gostava de pintar sua gente, sua cultura e seus costumes, e também aproveitava para fazer estudos com novos materiais que pudessem ser aplicados em suas obras”, explica.
Para chegar ao resultado do laudo, a comissão comparou o afresco descoberto com os outros existentes no imóvel. 

A Madona com Menino Jesus possui características bastante diferentes das demais obras, assim como o Sagrado coração de Jesus, outro afresco existente no mesmo cômodo, descoberto num restauro anterior.  

Ambas foram pintadas por volta de 1937 e são obras rústicas, tanto no desenho como na técnica. Além disso, o fato de que foram encobertas, provavelmente por intenção do artista, indicam que não eram consideradas obras finais.
Quem pintou a Madona com Menino Jesus junto com Portinari, porém, continua um mistério. 

“A determinação objetiva de qual artista teria colaborado na execução do afresco será impossível”, afirma o laudo, já que não existe documentação referente a este estudo. 

Além disso, “as análises das obras de outros artistas que constam desse laudo não foram conclusivas quanto à técnica e ao estilo que se aproximassem do afresco”.
O Museu Casa de Portinari - Instalado na casa onde Candido Portinari residiu durante sua infância e juventude, em Brodowski (SP), o Museu Casa de Portinari é uma instituição da  Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que representa o marco concreto do vínculo do artista com sua terra natal, ligação que é celebrada e perpetuada em sua obra plástica e poética. 

O último restauro foi realizado entre os anos 2012 e 2013, com investimento de R$ 4,2 milhões no reforço estrutural, restauro artístico e implantação de projeto expositivo inteiramente novo, que ressalta a relação de Portinari com sua terra natal.
Devido às várias obras em pintura mural nas paredes da casa e em uma capela nos jardins da residência, a preservação do conjunto tornou-se imprescindível. 

O primeiro passo ocorreu em 9 de dezembro de 1968, quando a casa foi tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).  

No ano seguinte, o imóvel foi desapropriado e adquirido pelo Governo do Estado de São Paulo e, em 22 de janeiro de 1970, foi tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo). Com esforços da família do artista, do município e do Estado, o museu foi instalado e inaugurado em 14 de março de 1970.
post: Marcelo Ferla
fonte:Museu Casa de Portinari - André Luiz Resende (Núcleo da Notícia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.