Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Homenagem.



Gylmar nasceu em 22 de agosto de 1930, em Santos - portanto, havia completado 83 anos na última quinta-feira. Ao longo de sua carreira, defendeu, além da seleção brasileira, o Santos e o Corinthians, fazendo história em dois dos maiores clubes do futebol nacional.
Ele começou a carreira no Jabaquara, chegando ao Corinthians em 1951, como contrapeso da negociação do meia Ciciá, que defendia o time da Baixada. Naquele ano mesmo ele assumiria a posição de titular da meta alvinegra e conquistaria o título paulista. Em 10 anos de Corinthians, ganhou o Torneio Rio-São Paulo em 1952 e 1953, além dos estaduais de 1951, 1952 e 1954.
Quando os anos de seca começaram no Parque São Jorge, ele se desentendeu com a diretoria e rumou para o Santos. Chegou à Vila Belmiro em 1962, aos 32 anos, e fez parte do melhor time da história santista. Com Pelé, Pepe e Coutinho, entre outros, ganhou cinco títulos do Paulistão, três Torneios Rio-São Paulo, quatro Taças Brasil, uma vez o Robertão, duas Libertadores e dois Mundiais.
Pela seleção brasileira, Gylmar fez sua estreia em 1953. Foi titular nas Copas do Mundo de 1958, 1962 e 1966, nesta última participando de apenas dois jogos e depois sendo substituído por Manga. Aposentou-se do Santos e da seleção em 1969, aos 39 anos.
Fique com Deus.






 







 






 






 



 


Marcelo Ferla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.