Seja bem vindo ao Blog do Marcelo Ferla

Informativo

Sempre gosto de lembrar aos leitores que este blog tem como intenção trazer à tona a informação, o conhecimento e o debate democrático sobre os assuntos mais variados do nosso cotidiano, fazendo com que todos se sintam atualizados.

Na medida em que você vai se identificando com os assuntos, opine a respeito, se manifeste, não tenha medo de errar, pois a sua opinião é de suma importância para o funcionamento e a real função deste espaço, qual seja, a de levar a todos o pensamento e a reflexão.

O diálogo sobre o que é escrito aqui e sobre o que vem acontecendo ao nosso redor é muito mais valioso e poderoso do que podemos imaginar.

Portanto, sinta-se em casa, leia, informe-se e opine. Estou aqui para opinar, dialogar, debater, pensar, refletir e aprender. Faça o mesmo.

Pesquisa

Custom Search

Calendário

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Frases





















"Somente os intelectualmente cínicos podem achar que o Brasil está bem em seus números"

André Vanconi Godoy
Continue Lendo... ►

Frases






















"A corrupção é, indubitavelmente, uma das muitas línguas pelas quais o demônio - um poliglota!"

Millor Fernandes
Continue Lendo... ►

sábado, 29 de maio de 2010

Frases





















"Status é comprar uma coisa q vc não quer,com um dinheiro  que você não tem, para mostrar pra gente que você não gosta,uma pessoa que você não é."


Infelizmente, essa foi a melhor definição que li até hoje sobre o que as pessoas pensam ser status nos dias de hoje.


Fonte: Frasesditas 
comentário: Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Frases





















"O maior prazer de uma mulher inteligente é bancar a idiota diante de um idiota que banca o inteligente".

fonte: frasesditas
Continue Lendo... ►

Frases























Frases:



"Nunca país algum se elevou sem se ter purificado no fogo do sofrimento" 

Mahatma Gandh

Realmente é uma verdade e ao que parece com o novo conflito entre as Corréias, tendo os EUA como apoiadores da do Sul e a China como antiga apoiadora da do Norte a frase acima permanecerá válida.

Marcelo Ferla




Continue Lendo... ►

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Pai, perdoa-lhes; porque eles não sabem o que fazem.

































PAI, PERDOA-LHES; PORQUE ELES NÃO SABEM O QUE FAZEM.

Lucas.23:34


As recentes declarações de dom Dadeus Grings, na abertura da assembléia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), refletem em muito, o que vem acontecendo desde a existência desta Instituição religiosa que é a Igreja Católica e não somente sob o enfoque mais atual que é a pedofilia, mas também sobre assuntos em que a Igreja ao se manifestar toma uma postura de quem nada sabe, de quem nada viu, como ocorrera, por exemplo, com o período inquisitório na idade média.

Atualmente, a Igreja vem passando por sérios apuros, talvez de uma forma jamais enfrentada e vista antes, tudo isso graças à seqüência de escândalos que finalmente estão vindo a tona e que tem como protagonistas os próprios padres e demais componentes da Igreja.

Dadeus Grings, que mais parece Pelé falando de futebol, naquela máxima em que o Rei do futebol só é Rei de boca fechada, Dadeus ao dizer que a “sociedade atual é pedófila”, se manifesta de uma forma que também resume o que a Igreja como um todo vem sentindo, desespero e falta de eficácia na resolução desse problema.

Ora meus amigos leitores, uma pessoa que se diz instruída, que estuda e se dedica por meio da teologia a compreensão diferenciada dos fatos de nossa sociedade, sociedade esta, lembremos, da qual ele também faz parte, simplesmente entra em nossas casas por meio da mídia e diz que somos pedófilos, sim porque eu faço parte dessa sociedade citada por Dadeus, aliás, todos nós fazemos parte dela.

Por Deus, eu, por exemplo, não tenho filhos ainda, mais você leitor de jornais deve e que vem acompanhando este acontecimento e outros tantos a respeito disso devem estar entendendo perfeitamente do que estou falando.

Ao se ler uma matéria dessas, pais que tem uma vida comum com seus filhos, que jogam bola com eles, que brincam de bonecas nas suas casinhas com suas filhas, sim, pais, bons pais, homens, brincam de boneca, são pais dedicados e nada tem de pedófilos. Pode parecer um texto radical, mais ao dizer que a sociedade é pedófila, no meu ponto de vista estamos todos sendo colocados no mesmo rebanho pelo senhor Dadeus.

E mais, não me venha com essa conversa de que a Igreja Católica é uma pequena fatia do problema, 0,2% como disse Dadeus, porque não consigo assimilar os acontecimentos desta forma.

A Igreja de Dadeus é formadora de opinião, reúne milhões de devotos que escutam os sermões dos padres, bispos ou seja lá de quem for, manifesta suas opiniões que podem ser seguidas a fio por seus seguidores, pois estamos falando de religião, algo perigoso, terreno muitas vezes hostil,  que deve ter uma interpretação e um cuidado quanto aos manifestos que dela saem e aí, um senhor, na sua completa maturidade, vem a público e diz: “a nossa sociedade que é pedófila, a Igreja está pagando o pato”, por favor.

A questão que deve ser considerada é que a Igreja Católica, em relação a tudo que tenta sustentar, e em relação a tudo que diz ser, determinando o que pode o que não pode, abusando do conceito de pecado, não pode ter sequer 0,2% dos casos, como o próprio Dadeus disse, a Igreja Católica deve ser exemplar como um exército do Senhor e um exército com um comandante destes não é passível de erros.

Se por um lado Dadeus quer ser rigoroso com a sociedade da qual ele mesmo faz parte, devemos ser rigorosos no mesmo sentido com esta Igreja que se apresenta e que em nada vem agradando, tanto pelos seus atrasos ideológicos, como o não uso da camisinha, por exemplo, bem como pelos escândalos recentes que estamos acompanhando.

Não satisfeito, praticamente numa crise de nervos, Daeus ainda di que a tempos atrás não se falava de homossexuais e que estes não tinham relevância social e que depois que estes começaram a reivindicar seus direitos, estes excluídos ganharam muitas batalhas, inclusive o de se manifestar em público, pois Dadeus teve um suspiro de memória da época da ditadura ou algo assim, e disse que se estes mesmos homossexuais adquiriram o direito de se manifestar, daqui a pouco acharemos os direitos dos pedófilos.

Vale lembrar, que os homossexuais são como qualquer pessoa, boas pessoas ou más pessoas, podem errar ou acertar, são seres humanos.

Mas o simples fato de generalizar mais uma vez uma fatia de nossa sociedade e comparar estes a criminosos grotescos como os pedófilos, Dadeus dá mais um tiro no pé, pois quando a casa do Senhor abre suas portas, pessoas como Dadeus sequer sabem se lá dentro estão homossexuais ou não, ma s uma coisa estes são, filhos de Deus como todos nós.

Dadeus foi por demais infeliz em suas declarações e talvez atitudes desta natureza é que vem fazendo com que a cada dia que passa a Igreja Católica venha perdendo fiéis para outros seguimentos religiosos.

A Igreja Católica sempre soube da pedofilia dentro de suas instituições religiosas, João Paulo II, um dos mais carismáticos Papas de todos os tempos encobria casos de pedofilia, o Papa Bento XVI, vem sendo acusado de ter encoberto casos de pedofilia, ou seja, todos estão envolvidos até o pescoço e como disse, em maus bocados.

Na última quarta-feira, o Papa Bento XVI, em visita a Portugal disse que é importante a própria Igreja reconhecer essa “terrível verdade”, “algo realmente terrível”.

Ao contrário de seu subordinado, Bento XVI, me deixou mais otimista quando disse que se deve pedir perdão a todas as vitimas de tal crime, mas que este perdão não é suficiente e que a Igreja deve trabalhar juntamente com a justiça dos homens. Bom saber disso, bom saber que a justiça realmente eficaz, pelo menos é o que esperamos que aconteça, terá interferência nestes casos e que os monstros sejam aprisionados em definitivo.

“O perdão não pode substituir a justiça”, disse Bento XVI, em declaração acertada e coerente, prometendo ainda que a Igreja tomará providências enérgicas quanto aos casos, que ingressará em penitência, refletirá, tomará atitudes para que isso pare, o que realmente acho que não ocorrerá, pois isso a muito ocorre e continuará ocorrendo, pois não podemos ter controle sobre tudo, infelizmente. Precisarei ver para crer.

Portanto, senhor Dadeus Grings, leia bem o que tenho a lhe dizer, siga as determinações de seu superior, o Papa Bento XVI, autoridade máxima da Igreja a qual o senhor pertence e pare de falar bobagens e absurdos, pois de coisas assim já estamos fartos, estamos fartos de discursos regados a demagogia, discursos angelicais, feitos a voz calma, cale-se, pois é o melhor que o senhor tem a fazer, mas não se cale para denunciar aqueles que o senhor venha a saber que são criminosos, monstros, caso contrário o senhor fará parte da mesma corja de monstros.

Marcelo Ferla.
Continue Lendo... ►

Frases




















Frases:

“Hoje, nós vemos de um modo verdadeiramente aterrador que a maior perseguição à Igreja não vem de inimigos externos, mas nasce do pecado dentro da Igreja.”

“A Igreja tem uma profunda necessidade de aprender o perdão e também a necessidade de justiça.”


“O perdão não substitui a justiça”


Frases ditas pelo Papa Bento XVI a jornalistas em visita deste a cidade de Lisboa, em Portugal, onde celebrou missa em homenagem as comemorações das aparições de Nossa Senhora de Fátima.
Continue Lendo... ►

Os Discípulos que não seguem.



















Os Discípulos que não seguem...


“Foram-lhe, então, apresentadas algumas criancinhas para que pusesse as mãos sobre elas e orasse por elas. Disse-lhes Jesus: “Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais, porque o Reino dos céus é para aqueles que se lhes assemelham.”

E, depois de impor-lhes as mãos, continuou seu caminho.”

Mateus 19: 13-15

“Trouxeram-lhe também criancinhas, para que ele as tocasse. Vendo isto, os discípulos as repreendiam. Jesus, porém, chamou-as e disse: Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas. Em verdade vos declaro: quem não receber o reino de Deus como uma criancinha, nele não entrará.”

Lucas 18: 15-17




O significado da palavra discípulo corresponde àquele que recebe instrução (em relação a quem lhe dá), aquele que aprende, o aluno, aquele que segue as doutrinas de outrem, ou seja, aquele que de uma certa forma se entrega a uma determinada disciplina e ao respectivo Mestre desta que, por sua vez, lhe ensina os caminhos, os atalhos, o controle, a doutrina de determinada religião e/ou filosofia de vida desta. Mais não é o que vêm ocorrendo em uma das instituições religiosas mais antigas e conservadoras do mundo.

As passagens bíblicas postas acima mostram que desde sempre, já nos tempos em que o Senhor andava por este mundo, seus ensinamentos ou não eram compreendidos ou não eram seguidos de forma clara e obediente por seus Discípulos, os famosos doze Apóstolos, fato este que atualmente, ao que me parece, também vem ocorrendo, ou melhor, fato este que talvez no decorrer da história da humanidade nunca tenha deixado de ocorrer, sempre nutrido por uma certa arrogância e imponência de quem esteve ou se diz ter estado ao lado do Senhor.

O homem muitas vezes e de muitas formas tenta se aproximar no decorrer dos tempos de uma força sobrenatural, de algo que acredita e que deposita toda a sua fé. No caso dos católicos tais crenças são baseadas em uma história rica e criativa, relatada no livro mais vendido do mundo e que conta a passagem do homem mais conhecido do mundo, o livro a Bíblia, o homem, Jesus Cristo de Nazaré.

Dele foi a intervenção citada lá em cima anteriormente relatada nos livros de Lucas e de Mateus, onde o Messias intervêm nas atitudes de seus discípulos que ao afastarem as crianças que queriam chegar perto do Senhor eram impedidas por estes. Jesus logo determinou que essas deveriam ficar próximas Dele, se aproximar mai Dele, pois a sua pureza era tal que todos deveriam tomar como exemplo a inocência e pureza desses enquanto seres desse mundo.

A Igreja Católica, chamada também de Igreja Católica Romana e Igreja Católica Apostólica Romana, é uma Igreja cristã com aproximadamente dois mil anos, colocada sob a autoridade suprema do Papa, Bispo de Roma e sucessor do apóstolo Pedro.

Seu objetivo é a conversão ao ensinamento e à pessoa de Jesus Cristo em vista do Reino de Deus. Para este fim, ela administra os sacramentos e prega o Evangelho de Jesus Cristo. Atua em programas sociais e instituições em todo o mundo, incluindo escolas, universidades, hospitais e abrigos, bem como administra outras instituições de caridade, que ajudam famílias, pobres, idosos e doentes. Isso realmente é verdade? A igreja enriquece e sempre enriqueceu de forma brutal e desonesta? Isso é outra história, contada em outros capítulos.

Ela elaborou sua doutrina ao longo dos concílios a partir da Bíblia, comentados pelos doutores da Igreja. Ela propõe uma vida espiritual e uma regra de vida aos seus fiéis inspirada no Evangelho e definidas de maneira precisa. Precisa? Tenho minhas dúvidas.

Regida pelo Código de Direito Canônico, ela se compõe, além da sua muita bem conhecida hierarquia ascendente que vai desde o simples diácono ao supremo Papa, de vários movimentos apostólicos, que comportam notadamente as ordens religiosas, os institutos seculares e uma ampla diversidade de organizações e movimentos de leigos.

Ela não pensa como a Igreja dentre outras, mas como a Igreja estabelecida por Deus para salvar todos os homens. Esta idéia é visível logo no seu nome: o termo "católico" significa universal em grego.

Pois bem, eis ai em cima uma breve citação do que a Igreja Católica e seus componentes devem exercer enquanto membros desta instituição religiosa.

Porém, nos esquecemos muitas vezes e tenho a impressão de que os próprios componentes desta instituição religiosa esquecem algo que é muito importante, qual seja, o fato de que não possuem a perfeição divina de seu Mestre, ou seja, são humanos e não divindades acima do bem e do mal e como tais cometem erros, erros estes que muitas vezes são insuportáveis, intoleráveis e que em nada tem haver com a doutrina cristã.

O que quis dizer acima é que Deus, Jesus Cristo ou o Espírito Santo, como queiram os católicos ou mesmo qualquer pessoa em sua sanidade comum, estando dentro de suas atribuições normais, sem estar abalada por nada externo ou interno, não faz, nem permite que seja feito o que leremos adiante.

Lemos a poucos dias em todos os jornais e periódicos a notícia de que um coral de vozes formado por meninos, situado em uma cidade na Irlanda, fora foco de crimes de pedofilia envolvendo os responsáveis pelo coral, religiosos da Igreja Católica e os meninos deste.

Posteriormente, surgira a notícia de que em uma escola coordenada pelo irmão do atual Papa Bento XVI, o reverendo Georg Ratzinger, fora foco de denúncias feitas por pessoas da região, até então silenciosas em sua dor, acerca de crimes de pedofilia e agressões físicas que ocorriam com freqüência assustadora, agressões estas na forma de “tapas” como admitira o próprio Georg, afirmando que estes serviam de lição coletiva contra os supostos atos errôneos cometidos por estas crianças e que tais tapas jamais poderiam ser considerados e/ou igualados a “agressões”. Seu irmão, o Papa assinou embaixo.   

Esses dois acontecimentos, que não são os únicos e que por isso me surpreendem, na medida em que o atraso nas reações adversas a estes por parte das autoridades canônicas é nula, uma vez que acontecem desde sempre e nada até hoje fora feito.

Tais acontecimentos, atualmente, acenderam a fogueira, não da inquisição, mas dos acontecimentos e dos olhos de quem os acompanha, alertando todos que a muito, ou pior, e repito, que desde sempre estes ocorreram dentro das paredes deste império que se comporta de forma atrasada em relação ao mundo ao qual faz parte e que jamais foram reconhecidos por seus regentes mas que agora, numa tentativa desesperada de amenizar as críticas ferozes e inevitáveis sobre um assunto que não pode nem possui mais condições de permanecer nebuloso atrás da fumaça de purificação com incenso que faz parte do culto exercido por seus membros em missas.

Outro aspecto que motiva a negligencia e a omissão da instituição como um todo se refere a preservação de uma série de mandados papais que passaram batidos pelos acontecimentos com seus olhos fechados e com suas costas viradas para este grave problema e, em sendo assim, nada fizeram para sanar o problema visível e sabido por todos que sofreram com isso desde sempre. Ademais o único sinal que se vislumbra para tudo isso parte de atos tímidos e minúsculos diante dos acontecimentos que estão sendo a muito custo dados como verdadeiros, numa clara tentativa de se amenizar a atitude ridícula e conservacionista da Igreja Católica sobre estes atos que não agradam e atiçam a instituição como um todo.

Quanto a lista de acontecimentos já comprovados e levados a justiça dentro de nossos tempos, temos até agora:

Estados Unidos: em 1996, o cardeal Joseph Ratzinger, que veio a se tornar o papa Bento XVI em 2005, não respondeu a cartas vindas de clérigos americanos acusando um padre do Estado do Winsconsin de abusar sexualmente de menores.

O padre Lawrence Murphy, que morreu em 1998, é suspeito de ter abusado de até 200 meninos em uma escola para surdos entre 1950 e 1974. Mais do que isso, foi revelado que dois padres de Boston, Paul Shanley e John Geoghan, estavam envolvidos em casos de abuso nos anos 1990 e foram supostamente acobertados por líderes da Igreja, que os transferiam de paróquia em paróquia. Entre indenizações milionárias para acobertar os casos e milhares de processos ( mais de 500), além de informações concretas, como no caso de matéria vinculada pela revista Veja, Editora abril, edição nº 1982, ano 39, nº 45, de 15 de novembro de 2006, publicou uma reportagem nas páginas 112/114, sobre dois advogados norte-americanos, John Aretakis, de Nova Iorque e Jeff Anderson, de Minnesota, recordistas de clientes vítimas de abusos sexuais, tendo o primeiro patrocinado 250 ações, com indenizações no valor de um milhão de dólares obtidas da Igreja Católica e o segundo patrocinado mil ações, com indenizações no valor de 150 milhões de dólares, também, obtidas da mesma instituição religiosa.

O caso mais famoso foi o do padre Mark Haight, de Albany, que estuprou um menino, diariamente, durante seis anos. Seguem-se os casos do padre James Porter, que molestou 28 crianças e foi condenado em 1993 a 28 anos de prisão, do padre Paul Shanley, que molestou uma menina durante três anos e foi condenado a doze anos de cadeia, do padre John Geoghan, molestador de mais de cem crianças, foi condenado a dez anos de prisão e do padre Rudolph Kos, que molestou onze crianças e a sua diocese pagou indenizações no valor de trinta milhões de dólares às vítimas.  fora elaborado um relatório encomendado pela Igreja em 2004 concluiu que mais de 4 mil padres americanos enfrentaram acusações de abuso sexual nos últimos 50 anos, em casos envolvendo mais de 10 mil crianças - principalmente meninos.  Viva a América!

Alemanha: Desde o início de 2010, pelo menos 300 pessoas acusaram padres católicos da Alemanha de abuso sexual ou físico.  As alegações estão sendo investigadas em 18 das 27 dioceses da Igreja Católica no país natal do papa Bento XVI. Entre as acusações, está o abuso de mais de 170 crianças por padres em escolas jesuítas, além de casos dentro de um coral de meninos dirigido durante 30 anos pelo monsenhor Georg Ratzinger, irmão do papa.

Irlanda: No ano passado, dois documentos que examinaram acusações de pedofilia entre clérigos irlandeses relevaram a profundidade do problema no país, com casos de abuso, acobertamentos e falhas hierárquicas envolvendo milhares de vítimas durante várias décadas. Um dos documentos mostrou que quatro arcebispos de Dublin fizeram vista grossa para casos de abuso ocorridos entre 1975 e 2004. Quatro bispos renunciaram e toda a hierarquia da Igreja irlandesa foi convocada ao Vaticano para depor pessoalmente diante do papa Bento XVI. Em meio a isso, um novo escândalo veio à tona neste mês de março, com a informação de que o chefe da Igreja Católica irlandesa, cardeal Sean Brady, estava presente em reuniões realizadas em 1975, quando crianças fizeram um voto de silêncio sobre reclamações contra um padre pedófilo, Brendan Smyth.

Holanda: Ainda neste mês de março, bispos da Holanda pediram uma investigação independente diante de mais de 200 acusações de abuso sexual de crianças por padres, além de três casos ocorridos entre 1950 e 1970. Inicialmente, as acusações envolviam a escola do mosteiro de Don Rua, no leste da Holanda. O escândalo fez surgir dezenas de novas alegações de supostas vítimas em outras instituições do país.

Itália: Em janeiro de 2009, vários homens deficientes auditivos vieram a público para dizer que foram abusados, quando eram crianças, no Instituto para Surdos Antonio Provolo, na cidade de Verona, entre 1950 e 1980. No fim do ano passado, a agência de notícias Associated Press obteve uma declaração por escrito de 67 ex-alunos da escola nomeando 24 padres e outros religiosos a quem acusavam de abuso sexual, pedofilia e castigos físicos. A diocese de Verona disse que pretendia entrevistar as vítimas, depois de uma solicitação do Vaticano.

Áustria: Acusações independentes de abuso sexual infantil por padres surgiram em várias regiões do país. 
Após um dos escândalos, cinco padres de um mosteiro em Kremsmuesnter foram suspensos. Em Salzburgo, o chefe de um mosteiro local renunciou ao cargo após confessar ter abusado de um menino há 40 anos, quando ele era monge.

Suíça: Uma comissão formada pela Conferência dos Bispos da Suíça em 2002 vem investigando acusações de abuso envolvendo religiosos do país. Este mês, um membro da comissão, o abade Martin Werlen, disse em uma entrevista que cerca de 60 pessoas fizeram acusações sobre casos que teriam ocorrido nos últimos 15 anos. Um padre do cantão de Thurgau foi preso no último dia 19 sob suspeita de abuso sexual de crianças.

Diante de todos esses acontecimentos me pergunto como é possível tal distorção tão grosseira da palavra do Mestre quando exercida por seus mais celebres seguidores?

Muitas coisas vêm sendo ditas por especialistas das mais variadas áreas, para que se compreenda da forma menos pavorosa, se é que isso é possível, os motivos que levam um ser humano a um ato desta natureza.

A bem pouco tempo vi na televisão uma entrevista de um psicanalista da USP, onde este dizia que o fato do celibato, a série de abstenções físicas e materiais as quais os clérigos se submetem, pode sim afetar a questão psíquica de todos que fazem parte desta instituição em maior ou menor grau, dependendo de cada individuo na sua individualidade, fazendo com que estas abstenções estejam no quadro de composição da mente daqueles que praticam estes atos abomináveis. Mas como qualquer questão psíquica não se trata de um caso ou perfil traçado somente por um componente, portanto não tão somente o celibato explica isso.

Outro ponto muito forte na argumentação quando da análise das pessoas que apresentam esse tipo perfil e que cometem tais atos e que sempre vem à tona, trata do fato de estas pessoas já terem sofrido, antes ou durante sua vida religiosa, abusos sexuais em suas vidas, talvez no que pode ser definido como um “fenômeno em efeito cascata”, desde que levemos em consideração que boa parte destas pessoas começam muito jovens nesse oficio, muitos ou quase todos ainda crianças, nos trazendo assim, a idéia de que estamos novamente diante de algo que se não for analisado e tratado com o rigor e a disciplina que a instituição “Igreja Católica” diz ter, juntamente com a autorização desta da intervenção da lei dos homens, tal fenômeno deste “Efeito Cascata”, deste ciclo vicioso que destrói vidas não terá fim , nem tão pouco será extirpado.

O que deve se entender aqui é que aqueles que andam cometendo tais atos, por terem desde cedo freqüentado e se debruçado perante o estudo canônico, provavelmente se depararam ou fizeram parte direta de tais atos ou viam acontecer ou participavam de forma ativa ou passiva destes. Vale lembrar ainda que não sabemos quando isso começou e não há como se saber quantos criminosos e quantas vitimas de tais atos existem, uma vez que os próprios padres, bispos e por ai afora, podem, os próprios, terem sido em um passado não tão remoto, vítimas desse tipo de abuso no inicio de suas vidas religiosas. Pois eis ai mais uma vez o “Efeito Cascata”, o ciclo vicioso que isso pode ter se tornado.

Tal erro, o de afastar as crianças da religião católica ocorre desde quando os Apóstolos de Cristo não queriam deixar as crianças próximas ao Senhor se aproximar ainda mais deste, como dito lá nas passagens bíblicas no início do texto. Tal afastamento permanece ocorrendo hoje de uma forma mutante em relação àqueles tempos, de uma forma muito mais monstruosa e que em nada se compara ao simples ato de barrar crianças como os primeiros seguidores o fizeram.

Nos dias de hoje se violam corpos e vidas, vidas das vítimas, dos familiares destas vítimas, da sociedade das quais essas fazem parte, da credibilidade de seus fieis na Igreja Católica, ou seja, se um dia se acreditou em algo, hoje essa crença está a perigo, o que por si só já é muito perigoso em se falando da maior religião do mundo em número de seguidores. Ao que nos parece há que se acreditar em Deus e não mais nos homens, o que cá entre nós, não é nenhuma novidade nos dias atuais.

A lição final que se tira disso é que tal assunto, tal fenômeno, não pode cair no esquecimento como uma simples notícia de jornal, o que muito bem pode ocorrer em sendo esta a real vontade da Igreja Católica. 
Quando se tem acontecimentos dessa magnitude e dessa brutalidade essa coisa toda não pode ser esquecida assim, como algo qualquer, deve ser combatida, erradicada para todo o sempre.

Eu apoio isso, não posso me conformar e preciso acreditar que isso tem solução, mesmo não sendo católico. 
E se esses homens, ditos os legítimos representantes de Deus na terra, possuem um pingo de vergonha na cara para melhor representar Ele, que por Ele realmente sejam iluminados e acabem com isso.           

Marcelo Ferla.

Continue Lendo... ►

Pão e circo dados ao povo.
















Pão e circo dados ao ao povo.

Volto a escrever em meu blog depois de um tempo afastado desta atividade. Confesso aos meus leitores, se é que eles existem, que estava um tanto quando desanimado para o exercício desta atividade. O que estava ocorrendo é que todos os periódicos e jornais que leio todos os dias e que me inspiram, por meio das matérias que trazem em seus conteúdos, servindo assim de inspiração e material confiável, estavam sofrendo de uma das doenças que fazem parte do meu dia-a-dia, TOC, transtorno obsessivo compulsivo, o que para os jornalistas e colunistas vem a se tornar um verdadeiro martírio.

O TOC é caracterizado como sendo uma doença cognitiva comportamental em que o individuo se torna obsessivo em pensamentos e compulsivo em atos e é justamente esta compulsão que tomou conta dos jornais e periódicos que anteriormente citei, sim, porque estes, compulsivamente, escreviam somente sobre a gripe A e a crise explosiva do Congresso Nacional. Eram, e ainda são por vezes, matérias em cima de matérias, sempre faladas sobre ou sobre outro, quando não tomando todo conteúdo de um material de leitura, uma verdadeira compulsão por dois assuntos. Confesso que isso me derrubou um pouco como escritor ou colunista amador, mais cá estou.

Estou para falar, talvez tomado por uma compulsividade, apesar de criticá-la acima, de política, maldito assunto este, mas vamos lá.

Pois bem, eu sou um cara que gosto por demais da história do Império Romano e, logo que vi e li esta notícia, me lembrei do Coliseu Romano, sim, aquele, dos embates sangrentos entre Gladiadores, das corridas mortais de brigas, lutas entre homens e feras, ou seja, ação, sangue e delírio dos espectadores, formados pela plebe romana.

O Coliseu Romano foi uma das obras mais esplendorosas da Humanidade, estudado até hoje por sua estrutura arquitetônica, copiada até hoje para a construção de campos de futebol, ultramodernos, todos baseados no famoso e suntuoso Coliseu Romano, com sua arquitetura baseada no revolucionário sistema de arcos que revolucionou a arquitetura mundial. Mas o que isso tem haver com política atual?
   
Uma notícia vinculada nacionalmente e trazida a nos leitores no dia 25 deste mês, intitulada “Redução da jornada de trabalho volta ao debate” texto este desenvolvido a cerca da volta do debate a respeito da diminuição da carga de trabalho no Brasil, que hoje é de 44 horas semanais e que viria, por meio de Pec aprovada em ambas as casas legislativas, a ser reduzida para 40 horas semanais, com apoio do Presidente Lula, situação e alguns votos da oposição, já conformados.

A exemplo do que aconteceria em períodos de revolta da plebe romana, revoltada com os disparates dos Césares e de seus Conselheiros, que ao longo da história lapidaram o Império Romano e sua história, ao que me parece, tal decisão, surgida no epicentro da crise política generalizada que vem ocorrendo em nosso país, parece ter semelhança tênue com o sistema histórico anteriormente citado, ainda mais em se falando de véspera de ano eleitoral, quando os interessados em votos fazem de tudo para costurar os panos que serão embebidos em água quente e, posteriormente, serem postos por cima de acontecimentos deste tipo, ou seja, pão e circo ao povo revoltado.

Lá, na antiguidade, eram dias infindáveis de festas, animais sacrificados, comidas, jogos, diversão, enfim, ofertas aos Deuses (difícil saber que Deuses, se os Deuses mesmo, ou os de carne e osso), enquanto que nos dias atuais, são aquelas ofertas substituídas por cestas básicas, promessas, medicamentos, iluminação, saneamento básico, consultas médicas, dinheiro, serviços temporários, dentre outras coisas, ou seja, são ainda as mesmas coisas, a mesma centralização de poder, o mesmo povo e o pior de tudo, a mesma ilusão, a de que tudo vai melhorar.
 
Os Césares de Hoje, José Sarney e seus Conselheiros, Renan Calheiros, Michel Temer, Fernando Collor de Mello, Wellington Salgado, dentre outros, da mesma forma como os da antiguidade, andam passando completamente imunes as regalias e decisões autoritárias que vem tomando, prejudicando diretamente o povo brasileiro de uma forma generalizada, do gari até o intelectual poliglota, visto que a “blindagem”, palavra tão usada atualmente, é forte e se fortalece cada vez mais, visto que aqueles que estão no poder tem carta branca para manter o poder, portanto, não há previsão de mudanças nesse sentido.
 
Estamos diante de uma espiral e você sabe que uma espiral é infinita. Eis o problema. Um bom exemplo disto, se dá quando da ocorrência da instalação de CPI’s, (coisa que nem sei mais o que significa e qual serventia possui) que tem em sua composição sempre aqueles que atuam em favor da manutenção do atual poder e daqueles que estão nele. Portanto, não servem para nada, não cumprindo sua função constitucional.

Pior se torna a situação quando nos deparamos, por meio de nossa escassa memória, do tempo que esta tropa está no poder. Para se ter uma idéia, e isso deixou de ser novidade, José Sarney é hoje um dos mais antigos políticos em atividade no país. Alguém fez isso acontecer, nós.

Pelo que vejo, o tempo passou, mas as estratégias, os contatos, as mobilizações, todas internas, permanecem intocadas, fortalecidas pela impunidade, demagogia, hipocrisia e muita, mas muita cara de pau, alimentada esta última com o óleo de peroba da “blindagem”.

Roma era assim, e o Brasil vem sendo a Roma da América Latina. 

Existem outras Romas na América Latina? A resposta é sim, mas a que mais me interessa é a nossa. E aguardem, porque estamos entrando no período em que pão e circo são distribuídos com fartura, o primeiro para alimentar, o segundo para distrair e fazer esquecer.

Cabe a nós, não comermos desse pão e não assistirmos a este circo, pois se assim for, poderá a Roma dos dias de hoje perdurar tanto quanto aquela lendária perdurou no passado.

Texto: Marcelo Ferla  
Edição: Michelle Jefinny
Continue Lendo... ►

Tratamento contra o TOC






























Vencendo o Transtorno Obsessivo-Conpulsivo, Aristides V. Cordioli



Vergonha dificulta tratamento de transtorno obsessivo-compulsivo.


Antes de dormir, você costuma conferir se a porta de casa está realmente trancada? Pois isso indica que você é uma pessoa responsável. Mas tem gente que, em vez de conferir uma ou duas vezes, faz isso dezenas de vezes, tornando-se refém de um ritual que, se não for cumprido à risca, gera grande angústia.

Essas pessoas são vítimas de TOC (transtorno obsessivo-compulsivo), doença mental que mantém o cérebro permanentemente envolvido em uma necessidade que a própria vítima pode considerar absurda, mas da qual ela não consegue se desvencilhar.

Existem dois tipos de sintomas: os obsessivos e os compulsivos. As obsessões são idéias persistentes. A preocupação excessiva com a sujeira é um exemplo. As compulsões são comportamentos repetitivos que podem estar ligados às obsessões.

Uma pessoa que, no plano das idéias, tem obsessão por limpeza, no plano das ações pode estabelecer a necessidade de lavar as mãos mais de cem vezes por dia devido ao receio de ser contaminado por micróbios, por exemplo.

"A pessoa tem consciência de que a repetição não adianta, mas fica angustiada se não cumprir o ritual", diz Marina Arnoni Balieiro, psicóloga do Hospital Edmundo Vasconcelos, da capital.

Alguns rituais, como organizar as roupas conforme a cor de cada peça, podem ser praticados sem que indiquem uma doença. Eles se caracterizam como distúrbio quando a medida é observada como uma necessidade –a vítima imagina que, se não cumprir rigorosamente o ritual, algo de grave vai acontecer a ele ou a uma pessoa próxima, por exemplo.

O diagnóstico é feito por avaliação clínica –não existem exames capazes de detectar a doença.

O transtorno obsessivo-compulsivo não tem cura, mas pode ser controlado. Conforme o caso, pode ser necessário manter por toda a vida o tratamento, feito com medicamentos e terapia.

"Um dos maiores problemas é a vergonha que o paciente sente e que faz com que ele se esconda, deixe de ter vida social", conta a psicóloga.

Continue Lendo... ►

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Comunicado

12.5.10















Estou com novidades em meu blog. Agora o Blog do Marcelo Ferla possui uma comunidade no orkut (www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=101776078&refresh=1). 
 
Com o endereço disponível posto acima, você leitor deste espaço, poderá fazer parte desta comunidade que tem como objetivo aproximar mais o escritor deste blog de seus leitores, para que assim possamos nos conhecer melhor e debatermos mais sobre os mais variados assuntos aqui postos, através de uma outra ferramenta que estou disponibilizando para o meu público.Os assuntos do interesse deste público seleto , sendo polêmicos ou não e dos mais variados assuntos que aqui são postados, devem e merecem ser discutidos para que possamos ampliar nossos conhecimentos, fato este que também poderá ser feito lá na comunidade do orkut.

Espero que os meus leitores participem de nossa comunidade e se sintam cada vez mais a vontade para dar opiniões e sugestões, tanto aqui no blog  quanto lá na comunidade no orkut, levantando assuntos que gostariam de ver postos no blog, podendo também lá fazerem enquetes, pesquisas de campo, colocar seus manifestos de forma moderada e sempre educada, demonstrando ser este e aquele espaço, ferramentas eficazes  de debate, um espaço democrático e de informação de qualidade acima de tudo.

Obrigado a todos e espero vocês lá.

Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

Começando pelo fim.



 























6.5.10


Começando pelo fim.


A política brasileira, em todos os seus setores, vem passando por maus bocados o que inevitavelmente decorre de uma série de escândalos no setor e, por conseqüência disso, de uma pressão popular causada pelo cansaço da desta em relaçãoàqueles.

Com o intuito de combater tais atos ilegais e ilícitos cometidos a rigor, por nossos políticos, bem como em decorrência dessa pressão popular, obtemos nós, povo, uma resposta do legislativo quando da colocação em pauta da votação da  aprovação da chamada “Lei da Ficha Limpa”, o que de certa forma, num primeiro momento, não aparece como resolução inicial do problema se analisarmos a aplicação desta em comparação a outras leis criadas no país e que de imediato ou em um curto espaço de tempo caem no esquecimento, o que gera a falta de aplicação e fiscalização eficiente destas.

Mesmo assim, é preciso que venhamos, todos, a acreditar ao menos na tentativa que se está materializando no sentido de punir aqueles políticos de nosso país que, ao cometerem determinados atos ilegais e ilícitos, contidos no texto legal da lei, venham, posteriormente, e de forma eficiente, a serem punidos administrativamente e se for o caso juridicamente também.

Li hoje pela manhã que em um ato de simbolismo, a rampa do Congresso Nacional será na data de votação de votação desta lei, lavada, marcando assim, a limpeza que será feita na política brasileira.

Ao que me parece à ordem dos acontecimentos está em sentido contrário.

Estamos começando pelo fim, pois primeiramente, se faz necessário que a iniciativa transmutada, posteriormente, em lei, venha a ser efetiva quanto a seus efeitos por meio de sua aplicação e, principalmente, por meio de sua fiscalização e permanência em vigor contínuo, através do exercício desses dois atos.

Somente desta forma e depois de presenciarmos uma boa quantidade de acontecimentos que comprovem a aplicação rigorosa desta lei por meio daqueles que devem aplicá-la, sem protecionismos e corporativismos existentes hoje é que poderemos começar a nos habituar no sentido de termos um país sério quanto à aplicação e fiscalização destes acontecimentos, tendo como efeito final a punição exemplar dos envolvidos em atos regulados pela lei.

Caso contrário, de nada adiantará limparem a rampa do Congresso Nacional, pois logo depois, em questão de minutos, senão de segundos, os mesmos pés sujos de nossos representantes, enlameados de corrupção permanecerão a sujar o local e de nada adiantará o que se pretende fazer.


Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

Frases

5.5.10




















Frases…

"A sociedade atual é pedófila, esse é o problema. Então, facilmente as pessoas caem nisso. E o fato de denunciar isso é um bom sinal."

"Quando a sexualidade é banalizada, é claro que isso vai atingir todos os casos. O homossexualismo é um caso. Antigamente não se falava em homossexual. E era descriminado. Quando começa a (dizer) que eles têm direitos, direitos de se manifestar publicamente, daqui a pouco vão achar os direitos dos pedófilos."

"A Igreja tem 0,2% de culpa nestes casos, mas, ainda assim, os outros 99,8% não têm o mesmo destaque que a Igreja. Acho que issoé uma forma de querer prejudicar a Igreja que promove a castidade."

Frases ditas pelo Arcebispo de Porto Alegre dom Dadeus Grins, na abertura de assembléia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Continue Lendo... ►

Falando Nisso!!!




















4.5.10


Falando Nisso!!!

"Com todas essas acusações que de um lado surgem do PSDB e do DEM  acusações de estar o Presidente Lula, de forma desenfreada, praticando a chamada propaganda eleitoral antecipada e, do outro lado, em resposta as acusações que envolvem a sua pessoa e sua candidata, a existência de uma defesa do Presidente Lula que beirou a arogância e a prepotência, como se auto-intitulando alguém inatingível pelo STE. 

Com tudo isso acontecendo, não podemos estar correndo o risco de termos uma  corrida eleitoral a Presidência da Repúplica recheada de acusações de escandalos causados por partidários de ambas as legendas e de seus apoiadores e, posteriormente, como um efeito reflexo disso termos uma troca interminável de ofensas entre os candidatos em uma verdadeira queda de braço não gerando assim, essa disputa, que deve sempre ser educada e pacífica como a democracia, uma corrida eleitoral que não possuirá nenhum plano de governo positivo para o país  trazidos a seus elitores por Dilma e Serra? 

Preste atenção e por favor, eu vos peço, cuide e pense muito bem em quem votar, pois o quadro inicial dessas eleições que estão por vir não apresentou nada de positivo até o presente momento"

Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

A planta não tem nada haver com isso.opi

13.4.10























A planta não tem nada haver com isso.

A soltura do ex-governador José Roberto Arruda ocorrida ontem nos remete ao pensamento de que a esperança que circulava este caso de que os políticos que cometem delitos visíveis a sociedade brasileira e que deveriam ser punidos de forma exemplar não irá ocorrer agora, nem tão cedo. Mais do que isso. 

Em decisão por maioria de votos do STJ, oito votos a cinco, esta casa evidentemente através de uma decisão política, fundada em possibilidade legítima e legal de soltura do acusado, isentou o ex-governador do Distrito Federal das grades que ficavam diariamente a sua frente.

Tal acontecimento a meu ver é péssimo para a visão de aplicação da justiça  que ocorre no país, bem como é péssima para a imagem da instituição do STJ que tomou essa decisão, independentemente desta ter sido legal e legítima ou não, pois em direito, se há a possibilidade de se decidir pelo sim, também se tem a possibilidade de se decidir pelo não.

O efeito de tal decisão prejudica em muito a credibilidade do Poder Judiciário, uma vez que o cidadão comum, incapacitado de analisar a questão em voga de uma forma técnica, tira suas conclusões no sentido de ser esta um poder que não funciona e defende aqueles que evidentemente devem ser punidos de forma exemplar.

Como se não bastasse, em uma apelativa jogada de imagem, saiu do cárcere o acusado de crime flagrante, mais magro, com barba por fazer, numa tentativa apelativa, senão ridícula, de comover a população. 

Realmente se torna lamentável o ocorrido, na medida em que havia uma ponta de esperança no sentido de que algo, mesmo que aparentemente insignificante, diante de tantos acontecimentos absurdos no cenário político de nosso país, ocorresse em  tal cenário no que se refere à punição de políticos corruptos. Precisamos de um início para tudo que desta vez não ocorreu.

A planta a qual leva o nome que acompanha o criminoso "arruda", em nada tem haver com uma possível sorte ou efeito em afastar os maus olhados, protegendo o mesmo.

Quem o protegeu o retirando de onde deveria estar até agora para depois ser este encaminhado a prisão definitiva, após o devido processo legal, haja vista os acontecimentos inquestionáveis dos quais este fez parte, não possui valores medicinais ou funciona na medida em que um credo popular o sustenta por meio do nome de uma planta que se diz protetora e que tenha vindo a causar sobre o criminoso estes efeitos. 

Todos sabem que o caso não foi este. 

Em sendo desta forma quem perde com tudo isso é o povo,  que perde suas crenças palpáveis como a aplicação da justiça, através de um funcionamento vexatório como o ocorrido de suas mais importantes instituições jurídicas que perdem mais uma vez credibilidade perante todos.

Definitivamente, ao analisarmos a situação como um todo, onde se engajam nesta os inúmeros interessados de forma negativa no caso, aqueles que podem vir a cair junto com o ex-governador caso este venha a abrir a boca por se achar um bode expiatório que faz parte da famosa colcha de retalhos que é a política de nosso país, onde todos fazem parte de um todo, realmente nada pode acontecer sob pena de nada restar.

Portanto, a planta não teve nada haver com isso.

Marcelo Ferla.

Continue Lendo... ►






























Luto

Este blog está de luto e presta sua humilde homenagem a todas as vítimas da tragédia do Rio de Janeiro, que assim como este manifesto contra as causas desses acontecimentos é um manifesto humilde e simples, simples como aqueles que perderam suas vidas e igualmente humilde como aqueles que deixaram este mundo lutando de forma digna em obterem uma vida melhor para sí e para suas famílias.

Peço que ao lerem este texto, que ao menos por um segundo, pensem que nós todos, eu, vocês, todos nós que nunca passaram por isso ou nada parecido, somos de certa forma pessoas abençoadas.

Aqui fica registrada a minha indignação pelo descaso, pelo abandono, pelo esquecimento do inevitável e que de forma bruta nos faz pensar em coisas como estas somente depois que elas ocorrem.

Peço a cada um de meus leitores que me acompanham  ou àqueles que estão vindo aqui até este espaço pela primeira vez que deixem uma simples linha  que seja de solidariedade e força para aqueles que agora sofrem com o ocorrido.  

Aqui fica o manifesto pela ignorância que acompanha a todos nós.

Que Deus ajude da melhor forma possível aqueles que por sorte ou desejo do Senhor  que em meio a este caos permaneceram neste mundo insano para continuarem sua caminhada.

Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

Frases

 

 

 


















Frases:


"Trata-se de um terreno insalubre que nunca deveria ter sido ocupado"

Marilene Ramos, secretária estadual do Ambiente, comentando a qualidade do terreno do morro do Bumba no Rio de Janeiro que veio abaixo na noite de quarta-feira, matando até o presente momento 105 pessoas.

Uma declaração no mínimo absurda, incompetente e irresponsável, de quem deveria tomar providências para que isso jamais tivesse ocorrido. Lamentável e revoltante tal conformidade e simplicidade da declaração.

Comentário: Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

Parem...



 
















Bombeiros se emocionam após acharem o corpo de uma criança, durante buscas no Morro dos Prazeres.



8.4.10


Parem…



Santa Catarina – novembro de 2008 – 60 cidades afetadas, 1,5 milhões de pessoas direta ou indiretamente atingidas, 135 mortes, 02 desaparecidos, 9.398 pessoas forçadas a deixar suas casas, 5.617 desabrigados, 150 mil habitantes sem luz, racionamento de água em todo o Estado;

Angra dos Reis – 50 mortos, 4.366 famílias desalojadas, 1.093 interdições em casas com risco de desabamento desde 30 de dezembro de 2009;

Rio de Janeiro – até o presente momento, se tem 161 mortos, mais de 14 mil desalojados  e o número pode aumentar ainda…

As informações acima colocadas são relativas às ultimas três grandes tragédias que atingiram o nosso país no que se refere a catástrofes decorrentes de fenômenos naturais, aqui no caso, o excesso de chuvas ocorridas desproporcionalmente em um determinado período de tempo, o que resulta em infindáveis prejuízos tanto materiais quanto humanos nos locais atingidos por este fenômeno.

Mais algo além destas tragédias, catástrofes ou como queiram chamar, algo que não possui nenhuma, mais absolutamente nenhuma explicação ou justificativa, se dá em relação ao motivo o qual fez com que nestas catástrofes, vidas fossem “soterradas” ou “afogadas” em desespero, dor, perda e impotência daqueles que ficam e perdem familiares ou pertences nesses trágicos acontecimentos. Refiro-me em um primeiro momento à irresponsabilidade humana.

Sim, uma única palavra, a primeira, que move o motor propulsor de todos esses acontecimentos, a "irresponsabilidade" daqueles que possuem maior instrução a respeito do assunto, aqueles que detêm o poder de decidir se deve ou não ocorrer um investimento na estruturação por meio de uma melhor urbanização das cidades, para que assim, essas possam abrigar com mais infra-estrutura e segurança os seus moradores que lá nestes locais residem porque amam estes lugares e porque lá se encontra tudo que eles possuem e tudo que diz respeito as suas vidas, os governantes, o povo, todos nós, irresponsáveis.

O carioca ou o catarinense ou qualquer outro brasileiro que não possui condições de viver de forma digna, entenda-se por digna, em locais que possuam uma urbanização adequada com água, esgoto, iluminação, meio de transporte adequado e que principalmente seja um local para moradia legalizada e que tenha passado por uma fiscalização descente que resulte, posteriormente, na liberação de um determinado local para a construção de casas, ou seja, um local habitável pelo homem, morador daquele Estado, onde não haja paredões naturais que formam morros, morros estes que ao invés de marcas belas da natureza local, são amontoados de casas como se fosse um verdadeiro formigueiro ou um cupinzeiro humano prestes a cair golpeados pela língua de um tamanduá bandeira, onde não se tenha montanhas, verdadeiras gangorras de lixo, detritos de toda a natureza,  e aí não só a culpa dos governantes e, principalmente barro, areia ou terra fina, materiais estes de fácil deterioração e por conseqüência de fácil geração de desmoronamentos.

No que se refere ainda à ocupação das inúmeras encostas que fazem parte do cenário natural apresentado pela cidade do Rio de Janeiro, é pacifico o entendimento de especialistas das mais variadas áreas de pesquisa de que estas jamais podem ser locais para fins de habitação.

Mais já que isto ocorre, acertadas são as colocações a respeito do assunto do pesquisador da UFRJ, Moacyr Duarte, especialista em enchentes, em entrevista concedida via telefone para um canal na internet, na qual este menciona a necessidade de que cada comunidade ou local com estas características, possuam um corpo de voluntários, formados por moradores do local, estando estes treinados e aptos a detectar qualquer sintoma de perigo que esses locais venham a apresentar em momentos de chuva, bem como o preparo adequado deste mesmo corpo, treinamento este cedido pelo Estado, em prestar os primeiros socorros, bem como o resgate de vitimas, em ocorrendo qualquer tragédia dessa natureza, uma vez que é de conhecimento de toda e qualquer autoridade a ocorrência da obstrução das vias de acesso a estes locais quando de catástrofes como estas, impossibilitando assim,  o acesso rápido e eficaz do corpo de bombeiros e da defesa civil aos locais atingidos, atrasando em muito o resgate de vítimas.

Ainda mencionou o nobre especialista, como exemplo, um morador de Angra dos Reis que, a época da tragédia de mesma natureza lá ocorrida, ao ver a troca de coloração e mudança de espessura da água que corria pela calha de sua casa que se transformara de incolor e fina em barrenta e grossa, imediatamente notou o perigo que sua família corria, uma vez que morava em frente a uma encosta e em um raciocínio lógico e rápido, retirou a todos de sua moradia, salvando a toda a sua família do desastre que estava por vir.

Tal situação que jamais poderia ocorrer e que pode facilmente ser explicada, se resgata de uma segunda palavra para que continuemos a tentar entender o que ocorre, qual seja, a “ambição” humana, demonstrada no momento em que se tem um crescimento populacional desenfreado em um determinado local, sem que haja, para isso, qualquer controle governamental, por meio de seus órgãos e profissionais especializados, para que se tenha por meio destes a aplicação de um plano de urbanização e de estruturação como acima mencionado, interessando aos governantes destes locais, ao que nos parece, apenas a cobrança e arrecadação de impostos como o IPTU, pago por todos nós brasileiros e que ao que notamos, não é aplicado e destinado ao seu fim maior.

Por fim, há que se levar em consideração que o importante em determinados locais, senão no mundo todo, é a vontade que determinado grupo de sujeitos, no caso especifico do Rio de Janeiro, pessoas que dizem aplicar uma governabilidade moderna ao município do Rio de Janeiro, tem em soltar as rédeas de um crescimento cujo nome equivocado se dá de “desenvolvimento” e que em nada se tem de desenvolvido nele, senão a idéia de lucro, crescimento e obtenção de vantagens individuais e politiqueiras e claro, o enriquecimento de poucos em detrimento de muitos.

Portanto, parem, parem já de querer fazer com que o mundo seja de muitos poucos com condições dignas de vida, parem de construir prédios que só tem como objetivo o enriquecimento de poucos, o glamour de tantos outros e o recorde no guinnes book de mais alto prédio do mundo, parem de promover um desenvolvimento insustentável que se autodenomina sustentável e muito bem planejado, parem de movimentar pessoas para a limpeza do Maracanã para que lá ocorra o maior espetáculo da terra que neste momento não combina com o que está ocorrendo, parem de dizer e comentar o fato de estar havendo “joguinho político” em decorrência do ocorrido, se voltem para o que aconteceu, nos voltemos todos para o que aconteceu, pois isso não pode mais ocorrer, vidas estão sendo prensadas e empurradas ladeira acima em decorrência do crescimento absurdo de um local dito urbano e que depois faz com que estas vidas rolem ladeira abaixo mortas, destruídas, sufocadas por barro, lixo e sangue, porque não tinham onde ficar e se arriscaram em tentar viver em um lugar onde não se vive, se sobrevive e que posteriormente somente nos resta assistir a nossos semelhantes, em um esforço muitas vezes sobrenatural, tentar encontrar estas vidas já sem vida misturadas a algo que não sabemos mais se são gotas de chuva ou de lágrimas.

Parem.

Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

Frases

1.4.10




















Frase:

"Tudo o que já existia no mundo antes de nacermos é absolutamente normal; tudo o que surge enquanto somos jovens é uma oportunidade e, com sorte, pode até ser uma carreira a seguir; mas o que aparece depois dos 30 é anormal, o fim do mundocomo conhecemos… até que tenha estado aí por uma década, quando começa a parecer normal".

Douglas Adams, genial autor de Guia do Mochileiro das Galáxias.

fonte; revista veja
Continue Lendo... ►

Prestação de serviços

 

27.3.10






















Ciência traz a nova arma contra o HIV: banana


Claudio R. S. Pucci



Banana, meninos, têm vitamina, engorda e faz crescer, como diria uma antiga musiquinha e agora pode se tornar uma das maiores aliadas da ciência e saúde pública na prevenção da transmissão do vírus HIV. A novidade veio dos Estados Unidos, onde um estudo realizado na Universidade de Michigan mostrou que um dos componentes químicos da banana, a lectina BanLec, é tão eficaz quanto duas drogas anti-HIV desenvolvidas em laboratórios. 

Lectinas são proteínas encontradas em alguns vegetais que têm a capacidade de serem ligadoras de carboidratos ou glicoconjugados. Já faz algum tempo que a ciência tem estado de olho nessa proteína, pois ela tem a capacidade de parar reações em cadeia de alguns processos infecciosos causados por vírus. No caso da BanLec, ela consegue se ligar ao açúcar encontrado em alguns pontos do corpo do vírus HIV e barrar sua ação no organismo. Mesmo as drogas mais potentes não conseguem superar o fato do vírus ser mutante, mas com a lectina são necessárias inúmeras mutações para que o vírus consiga se livrar dela. 

A equipe estuda maneiras para alterar o BanLec e aumentar sua eficiência, mas adianta que já é possível uma aplicação da substância em cremes e pomadas, vaginais e anais, reforçando a proteção na hora do sexo. Os pesquisadores afirmam que a extração da proteína da banana é muito mais barata que a produção de componentes sintéticos e já preveem que poderá salvar milhões de vidas. Até mesmo uma análise mais conservadora mostrou que se o grau de eficácia fosse e apenas 60%, a BanLec salvaria 2,5 milhões de pessoas em três anos. 

O Brasil possui hoje cerca de cerca de 600 mil de pessoas infectadas com o HIV e seu esquema de prevenção e conscientização das pessoas em torno da epidemia já ganhou elogios da Organização Mundial da Saúde. Apesar da camisinha ser até agora o melhor método para não se contrair o vírus, a má colocação ou mau uso pode diminuir sua eficácia. A adição de um creme barato, a base de banana, na equação é seguramente garantia adicional de tranqüilidade para um sexo saudável.
 
Especial para Terra
Fonte: terra
Continue Lendo... ►

Falando Nisso...















7.3.10


Falando Nisso!!!

Com a prisão do ex-governador José Roberto Arruda e com a posse atrapalhada e  de declarações mais a trapalhadas e confusas ainda de seu vice Paulo Octávio, que mal sabe dizer se renuncia ou assume, Brasília poderá ser objeto de algo inédito no Brasil, a chamada "intervenção federal", um dos mais graves atos em se falando de um governo de qualquer esfera da nação e que deve ser decidido pelo STF.  

Pior do que isso, só se Arruda e Octávio renunciarem, o que fará com que o deputado distrital Wilson Lima assuma o cargo no governo do Estado. Dono de supermercados e homem que já fora presidente do sindicato dos donos de supermercados daquelas bandas, a única coisa que me preocupa é se os supermercados de Lima vendem justamente os panetones alá Arruda, aqueles que seriam comprados para comunidades pobres no natal passado com o dinheiro que fora flagrado sendo dado ao ex-governador fanfarão por um assessor à título de propina.

Vai saber.

Marcelo Ferla
Continue Lendo... ►

Curiosidades do Palácio de Versailles


 

 

 

 




Jardins do Palácio de Versailles




Curiosidades dos anos 1600 a 1700

Ao se visitar o Palácio de Versailles, em Paris, observa-se que o suntuoso
palácio não tem banheiros.

Na Idade Média, não existiam escovas de dente, perfumes, desodorantes, muito menos papel higiênico. As excrescências humanas eram despejadas pelas janelas do palácio.

Em dia de festa, a cozinha do palácio conseguia preparar banquete para 1.500 pessoas, sem a mínima higiene.

Vemos nos filmes de hoje as pessoas sendo abanadas. A explicação não está no calor, mas no mau cheiro que exalavam por debaixo das saias (que eram propositalmente feitas para conter o odor das partes íntimas, já que não havia higiene).

Também não havia o costume de se tomar banho devido ao frio e à quase inexistência de água encanada. O mau cheiro era dissipado pelo abanador.

Só os nobres tinham lacaios para abaná-los, para dissipar o mau cheiro que o corpo e boca exalavam, além de também espantar os insetos.

Quem já esteve em Versailles admirou muito os jardins enormes e belos que, na época, não eram só contemplados, mas "usados" como vaso sanitário nas famosas baladas promovidas pela monarquia, porque não existia banheiro.

Na Idade Média, a maioria dos casamentos ocorria no mês de junho (para eles, o início do verão). A razão é simples: o primeiro banho do ano era tomado em maio; assim, em  junho, o cheiro das pessoas ainda era tolerável.

Entretanto, como alguns  odores já começavam a incomodar, as noivas carregavam buquês de flores,  junto ao corpo, para disfarçar o mau cheiro.

Daí termos "maio" como o "mês  das noivas" e a explicação da origem do buquê de noiva.

Os banhos eram tomados numa única tina, enorme, cheia de água quente.

O chefe da família tinha o privilégio do primeiro banho na água limpa.

Depois, sem trocar a água, vinham os outros homens da casa, por ordem de idade, as  mulheres, também por idade e, por fim, as crianças.

Os bebês eram os últimos a tomar banho. Quando chegava a vez deles, a água da tina já estava tão suja que era  possível "perder" um bebê lá dentro.

É por isso que existe a expressão em inglês "don’t throw the baby out with the bath water", ou seja, literalmente "não jogue o bebê fora junto com a água do banho", que hoje usamos para os mais apressadinhos.

Os telhados das casas não tinham forros e as vigas de madeira que os sustentavam eram o melhor lugar para os animais - cães, gatos, ratos e besouros se aquecerem. 

Quando chovia, as goteiras forçavam os animais a pularem para o chão.

Assim, a nossa expressão "está chovendo canivete" tem o  seu equivalente em inglês em "it’s raining cats and dogs" (está chovendo gatos e cachorros).

Aqueles que tinham dinheiro possuíam pratos de estanho. Certos tipos de alimento oxidavam o material, fazendo com que muita gente morresse envenenada. 

Lembremo-nos de que os hábitos higiênicos, da época, eram péssimos.

Os tomates, sendo ácidos, foram considerados, durante muito tempo, venenosos.

Os copos de estanho eram usados para beber cerveja ou uísque.

Essa combinação, às vezes, deixava o indivíduo "no chão" (numa espécie de narcolepsia induzida pela mistura da bebida alcoólica com óxido de estanho).

Alguém que passasse pela rua poderia pensar que ele estivesse morto, portanto recolhia o corpo e preparava o enterro. O corpo era então colocado sobre a mesa da cozinha por alguns dias e a família ficava volta, em vigília, comendo, bebendo e esperando para ver se o morto acordava ou não. Daí surgiu o velório, que é a vigília junto ao caixão.

A Inglaterra é um país pequeno, onde nem sempre havia espaço para se enterrarem todos os mortos. Então os caixões eram abertos, os ossos retirados, postos em ossários, e o túmulo utilizado para outro cadáver.

Às vezes, ao abrirem os caixões, percebia-se que havia arranhões nas tampas, do lado de dentro, o que indicava que aquele morto, na verdade, tinha sido enterrado vivo.

Assim, surgiu à idéia de, ao se fechar o caixão, amarrar uma tira no pulso do defunto, passá-la por um buraco feito fno caixão e amarrá-la a um sino.

Após o enterro, alguém ficava de plantão ao lado do túmulo, durante uns dias.
Se o indivíduo acordasse, o movimento de seu braço faria o sino tocar.

E ele seria "saved by the bell", ou "salvo pelo gongo", expressão usada por nós até os dias de hoje.
  
Fonte: Michelle Jefinny
Continue Lendo... ►